segunda-feira, 30 de junho de 2014

Governo do RN avisa que metade do 13º será paga em duas parcelas

         Em coletiva de imprensa realizada na tarde desta segunda-feira (30), no auditório da Governadoria, o secretário de Estado do Planejamento e das Finanças, Obery Rodrigues, anunciou o calendário de pagamento do 13º salário de 2014. A coletiva contou com a participação também do Consultor Geral do Estado, José Marcelo. 
         A primeira parcela (20%) será depositada no próximo dia 16 de julho, mesmo percentual que será pago no dia 18 de agosto, com total de R$ 110 milhões. Os 60% restantes serão pagos no dia 20 de dezembro.           
         O titular pasta declarou que o fato de ser pago em duas primeiras parcelas consiste em um esforço adicional do Governo do RN, optando pelo enxugamento de despesas, que acaba por interferir na capacidade de investimento. 
         De acordo com Obery Rodrigues, o pagamento do 13º obedece à disponibilidade de recursos, somada ao enxugamento do custeio das secretarias e órgãos vinculados ao Governo do Estado.  
         Como exemplo, em 2010 o custeio chegou a R$ 339 milhões, enquanto em 2013 fechou em R$ 268 milhões. Além disso, em comparação com o primeiro semestre de 2013, houve uma redução de 2% da receita total do estado. 
         “O Governo tem feito um esforço, mas está sempre atento e disposto a trabalhar para garantir os direitos dos cidadãos. Acontece que enquanto a nossa receita aumentou 8,3% em relação ao ano passado, o repasse para os outros poderes aumentou e isso ajuda a explicar a dificuldade que estamos vivenciando”. 
Texto e fotos (de Ivanízio Ramos) encaminhados pela Assessoria de Comunicação do Governo do RN
 

domingo, 29 de junho de 2014

Rafael Motta visita Mossoró e Rodolfo Fernandes

O vereador de Natal e presidente estadual do PROS, Rafael Motta, participou na noite deste sábado (28) do encerramento do Mossoró Cidade Junina, na Capital do Oeste. Ao lado do vereador do PROS, Heró Alves, o pré-candidato a deputado federal reencontrou amigos e elogiou a organização do evento. 

"Mossoró Cidade Junina é uma referência e, neste ano, os organizadores estão de parabéns, assim como o povo, que anima muito essa importante festa para a cultura nordestina", ressaltou Rafael Motta.
Além de Mossoró, o presidente do PROS também visitou na noite deste sábado a cidade de Rodolfo Fernandes, a 369 quilometros de Natal. Lá, Rafael Motta foi recebido pelo ex-prefeito Chiquinho Germano, uma das maiores lideranças políticas da região. 
Nota e fotos encaminhados pela Assessoria de Imprensa do PROS.



Artigo de Paulo Afonso Linhares

O LEGADO DO CORVO

Paulo Afonso Linhares

Por mais de três décadas teve destaque na cena política brasileira uma das personagens mais controvertidas e não menos geniais da história deste país: Carlos Frederico Werneck de Lacerda, chamado Carlos Lacerda ou simplesmente Lacerda; por seu visual soturno, as roupas negras, os olhos fundos sempre guarnecidos por pesados óculos aro de tartaruga no rosto sempre crispado, o gestual ríspido e inquieto, sobretudo, pelo majestoso domínio de candente oratória, seus milhares de desafetos passaram a chamá-lo apenas de "Corvo", não apenas pelo aspecto taciturno, mas, também, pelo espírito atilado e os raciocínios velozes e cortantes, emoldurados numa luminosa torrente de palavras a metralhar impiedosamente múltiplos alvos, inclusive,  algumas vezes na forma de "fogo amigo". Para ele, as palavras eram lâminas a dilacerar reputações em renhidos combates verbais nas tribunas parlamentares, bem assim  através da imprensa escrita ou falada, onde usava e abusava de recursos retóricos tão impactantes que fariam corar os mais afamados dos filósofos sofistas gregos de antanho, a exemplo de Protágoras, Górgias de Leontini ou Hípias. Impulsivo e desprovido de tolerância, Lacerda não conhecia as meias-palavras, os meios-termos ou meios-tons; tudo nele cheirava a extremos.

A formação inicial de Lacerda (era filho do político, tribuno e escritor Maurício de Lacerda) foi no campo da esquerda, sob forte influência familiar, porém, tornar-se-ia passos adiante o corifeu da direita golpista encastelada na União Democrática Nacional (UDN), a combater tudo que tivesse pertinência com Getúlio Vargas e seu paradoxal legado político bifronte: o Partido Social Democrático (PSD), conservador e representativo das oligarquias agrárias; e o Partido  Trabalhista Brasileiro (PTB), de caráter urbano e que congregava as bases do sindicalismo oficioso. Em 1954, tanto Lacerda e seus acólitos fustigaram um Vargas já cansado de muitas guerras que este, presidente democraticamente eleito e no exercício da magistratura suprema da nação, saiu "da vida para entrar na História", com um tiro no próprio coração.

E a tragédia getuliana não deteve o Corvo e seus asseclas: tudo tramaram para que dez anos depois, em 1964, o herdeiro de Getúlio, João Goulart, fosse - apeado da presidência da República, mergulhando o Brasil numa ditadura que se prolongaria por mais de duas décadas e que, por obra do efeito termidoriano próprio de golpes de Estado dessa feição, o próprio Lacerda foi cassado e posto fora da política pelos militares seus antigos aliados (não seria ele uma das "vivandeiras alvoroçadas a rondar os bivaques dos granadeiros", segundo imagem forjada pelo marechal Castelo Branco?). O golpista derruba-presidentes provou de dose cavalar do veneno espargira discurso a discurso, artigo a artigo panfletário de jornal; cada petardo que arremessou contra as instituições republicanas lhe foi devolvido pelos seus ex-amigos, então donos do poder, cobrindo-o com o manto sombrio do ostracismo e fazendo com que precocemente viesse a perecer.

Com efeito, trinta e sete anos após a morte de Lacerda, aos 63 anos,  o seu legado está bem evidenciado  em várias das correntes políticas e importantes setores da imprensa que hoje fazem oposição aos governos petistas de Lula e de Dilma Rousseff. O estilo é o mesmo, a intolerância idem. Falta-lhes o talento, a inteligência e a genial retórica do Corvo, o que não os impede de infligir constantes reveses aos seus alvos, a exemplo dos ataques que vêm sofrendo a própria presidenta Dilma (recorde-se do recente "Dilma vá tomar no..." gritado por vips e socialaites no luxuoso camarote do Banco Itaú, na abertura da Copa realizada no estádio Itaquerão), o seu governo  e empresas como a Petrobrás, alguns até justos e fundados, mas, outros absurdos, histéricos, descabidos e até criminosos. Mais estranho e paradoxal é que o antigo Partido Comunista Brasileiro, hoje denominado Partido Popular Socialista (PPS), tornou-se o mais agressivo dos herdeiros de Lacerda. Aliás, isto somente vem a provar, como ocorreu com o Corvo, que o esquerdista que "bebe o vinho do padre" da direita é mais perigoso que buchada azeda.

A moda dos corvinhos, inclusive aqueles travestidos de tucanos, é falar mal dos gastos da Copa, depois de apostarem todas as suas fichas furadas que esse evento seria uma enorme fracasso. Até agora, fora a dentada que o jumento Suárez deu no ombro do italiano Chiellini, tudo na Copa FIFA tem sido retumbante sucesso; tudo funcionando como relógios suíços, no ponto e vírgula, embora seja absurdo  computar ao governo Dilma todos os acertos e ganhos, pois os governos estaduais e municipais das cidades sedes têm seu mérito, inclusive, malgré tout, o governo de Rosalba Ciarlini. Aliás, querer extrair dividendos de um fracasso nacional de todos os órgãos envolvidos na realização da Copa 2014, é uma péssima aposta bem no estilo lacerdista, bem no estilo atentado da Rua Toneleiro, sem qualquer exagero.


Felizmente, até agora não é perceptível na oposição ao governo Dilma a sanha golpista que passou a ser um marca do udenismo, mormente no viés lacerdista. Uma derrota nas eleições deste 2014  das forças anti-Dilma pode atiçar essa faceta golpista. Pouco se pode esperar de uma oposição incompetente e desqualificada que sequer logrou construir um discurso competente na exploração das falhas do governo, sobretudo, nos evidentes fiascos da atual política econômica. Vale esperar os próximos capítulos dessa novela eleitoral à sombra do Corvo, que nada tem a ver com  Edgar Allan Poe.

sábado, 28 de junho de 2014

Artigo de Heitor Scalambrini Costa, prof. da UFPE

Promessas: imagina 
na campanha eleitoral!!!

Heitor Scalambrini Costa
Professor da Universidade Federal de Pernambuco

Em Pernambuco, terra do “caçador de raposas políticas” – o ex-governador e candidato a presidente da Republica pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB), Eduardo Campos – a disputa eleitoral tem como marca o “racha” no aglomerado de partidos políticos denominado Frente Popular, que garantiu sua base de apoio durante os dois mandatos consecutivos, de 2006 a 2014.

Com o rompimento, a polarização promete ser acirrada com o outro candidato, do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), Armando Monteiro, ex-presidente da Federação da Industria do Estado de Pernambuco (FIEPE) e da Confederação Nacional da Industria (CNI) e senador eleito por uma outrora e agora dividida Frente Popular, que está sendo apoiado pelo Partido dos Trabalhadores (PT), e pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT), ambos ex-associados da Frente.

O ex-governador Campos escolheu, como candidato, alguém de dentro da sua “entourage familiar”, o que demonstra seu interesse de criar um grupo serviçal e de irrestrita confiança, para atender a seus interesses políticos. O ungido, Paulo Câmara, foi seu ex-secretário (Administração, Turismo e Fazenda) nos dois mandatos.

Nestes dois últimos meses (maio-junho) de campanha eleitoral não autorizada, o que surpreendeu e me chamou a atenção, a ponto de escrever este artigo, foi a desenvoltura do candidato governista como criador de ilusões, devida ao número de promessas feitas em tão pouco tempo. Imaginem o que não fará até as eleições!!!.

Muito pouco é questionado sobre o por que, como membro do governo nos últimos oito anos, não fez o que agora promete na campanha eleitoral. Parece a todos que guardou para as eleições a promessa de atendimento às demandas da população, às quais não apoiou enquanto esteve no governo.  Por que agora se deve acreditar que irá cumpri-las caso eleito?

Para cada região, para cada município, para cada grupo político que coopta, ele oferece um pacote de bondades disfarçado em promessas. É triste ver o toma lá dá cá fisiológico como moeda corrente da política brasileira. No vale-tudo, onde o objetivo principal é a conquista do poder, tudo é permitido. Relato a seguir algumas das pródigas promessas feitas pelo candidato Câmara em poucos dias de campanha não oficial, já que esta somente começará a partir de 6 de julho.

1) Reunido com produtores de caprinos e ovinos da cidade de Parnamirim, Sertão do Estado (23 de maio), prometeu fortalecer o setor pecuário do município incluindo carne na merenda escolar. Afirmou que aumentará para três vezes por semana o número de fornecimento de carne. Somente agora! Porque não quando estava no governo? Disse ainda que analisará, junto com sua equipe, a implantação de uma escola técnica no município.

2) No documento em que constam às diretrizes para o seu programa de governo na área de Saúde (27 de maio), prevê investimentos de R$ 478 milhões no setor. Inclui a construção de três novos hospitais: o Hospital Geral de Cirurgia, no Grande Recife; o Hospital Geral do Sertão (HGS), em Serra Talhada; e o Hospital da Mulher do São Francisco, em Petrolina. Também se compromete a tirar do papel o projeto do Hospital Regional Mestre Dominguinhos, em Garanhuns, o que já havia sido prometido pelo governo anterior. Além disso, prometeu transformar o Hospital Professor Agamenon Magalhães, em Serra Talhada, no Hospital da Mulher do Sertão. No Recife, o Hospital Geral de Areias viraria o novo Hospital do Idoso. Sem contar com a construção de seis novas Unidades de Pronto-Atendimentos (UPA´s), estas que, depois de construídas com dinheiro público, serão entregues, como as UPA´s anteriores, sem qualquer custo, à iniciativa privada.

3) Em sua viagem pelo Sertão do São Francisco, em Cabrobó (30 de maio), o candidato assumiu o compromisso de pavimentar a chamada Estrada da Cebola, que liga aquela cidade a Terra Nova. Garantiu ainda que será a primeira estrada a ser pavimentada, caso eleito. Também prometeu transformar duas escolas municipais em estabelecimentos de referência. Além de se empenhar para levar uma extensão da Universidade de Pernambuco (UPE) para o município e viabilizar a construção de uma escola técnica local. A bem da verdade, o Conselho Universitário da Universidade de Pernambuco (UPE) já decidiu que não vai abrir novos cursos e campus no próximo ano, por falta de professores, servidores e de investimentos em infraestrutura deficientes (laboratórios, bibliotecas, etc.).

4) Em Petrolina (31 de maio), reforçou a promessa de criação do Hospital da Mulher do São Francisco, que consta nas diretrizes para a Saúde apresentadas no dia 27 de maio. Com um investimento de R$ 84 milhões, contaria (segundo a assessoria de comunicação do candidato), com 110 leitos, e uma capacidade projetada de realizar 2,8 mil atendimentos de urgência por mês, 10 mil exames de imagem e 26 mil consultas. A proposta é realmente importante para a região, todavia o hospital e os equipamentos somente funcionam com pessoas qualificadas e motivadas. Hoje os hospitais existentes carecem de infraestrutura, manutenção e pessoal. Por que não se projeta melhoria também para esses hospitais? Será que somente novas construções atraem o voto do eleitor?
5) Durante visitas pelo Agreste Meridional, em Garanhuns (7 de junho), prometeu construir ainda um outro hospital para atender pacientes da região, o Mestre Dominguinhos, assegurando que o equipamento atenderá à demanda de alta complexidade existente na região. Além de “assegurar ações com o programa Doutor Chegou, com mutirões de cirurgias, consultas e exames; Medicamento em Casa; e a ampliação do Pernambuco Conduz, humanizando e aproximando o serviço de saúde para quem mais precisa, especialmente no interior”, conforme suas palavras. Prometeu que irá levar para o interior a qualidade que o serviço de saúde tem na Região Metropolitana do Recife (sic!). Saúde é apontada pela população com um dos maiores problemas.

6) No município de Calçado (8 de junho), no Agreste Meridional, assumiu o compromisso de, quando (se) eleito, uma de suas primeiras ações será a implantação da adutora que levará água da barragem Pau Ferro à cidade, assim como ás vizinhas Jupi e Jucati. Garantiu que esta obra será (também) uma das primeiras coisas que irá fazer em 2015.

7) No município de Arcoverde (18 de junho), prometeu a duplicação da rodovia federal BR 232 de Caruaru a até aquele município (100 km). Talvez tenha “outra Celpe” para vender, e assim levantar recursos para cumprir sua promessa.

8) Em Glória do Goitá (20 de junho), comprometeu-se a investir para ampliar o desenvolvimento da cidade. Garantiu vagas para todos os alunos que quiserem estudar em escolas de tempo integral e em escolas técnicas. Também prometeu que levará a sua equipe a proposta de construir uma segunda escola de referência, a pavimentação da PE-50 e a ampliação do hospital municipal.

9) Em viagem á região Agreste (21 de junho), passando por quatro cidades, garantiu que, se eleito, fará o recapeamento da estrada entre Serra da Capoeira e Machados, além de viabilizar a duplicação da PE-90, rodovia que liga Limoeiro a Toritama. Não se pode esquecer o Plano de Infraestrutura Rodoviária de Pernambuco – Caminhos da Integração, anunciado em setembro de 2011, que previa investimentos de R$ 1,98 bilhões em 73 rodovias do estado. O projeto visava obras de restauro, implantação, requalificação e duplicação de 1.973 km de rodovias em Pernambuco. Frustrou muitos municípios. Mas agora as promessas voltam, “requentadas”.
10) Na cidade de Vertentes (22 de junho), integrante do pólo de jeans do estado, que também inclui os municípios de Caruaru, Toritama e Santa Cruz do Capibaribe, afirmou que isentará do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) as lavanderias de jeans. Diminuir impostos é uma promessa recorrente entre candidatos. E por que não o fez como secretario da Fazenda?  Naquela região não se pode ainda esquecer o grave problema ambiental causado por estas industrias, cuja solução caminha a “passos de tartaruga”.

Paulo Câmara segue o figurino de seu criador e mentor, hoje candidato à presidência da Republica, que percorre o Brasil afora prometendo ações e realizações, mostrando Pernambuco como exemplo de sua “gestão moderna e eficiente”.

Esta tecla repetida insistentemente, de que Pernambuco difere do governo federal e de outros estados da federação na área da gestão, é uma falácia. De que, aqui, os “meninos de ouro” comandados pelo candidato Campos têm “capacidade de tirar do papel e transformar em realidade” e que “o modelo de gestão prima pela meritocracia, com indicações de pessoas técnicas para cargos públicos chaves e valorização do serviço público com metas e cobranças”, conforme o candidato Câmara mais uma vez repetiu na sabatina promovida pela TV Jornal (29 de maio). Basta um mínimo de seriedade e honestidade para comprovar como o governo de Pernambuco não difere administrativamente em nada de outros estados do país e do governo federal. Como exemplo recente, citemos as obras prometidas para antes da Copa e que não foram entregues.

Como visto, promessas não faltam, e não faltarão, até o dia da eleição. Câmara já fez três grandes promessas em poucos dias, além de várias outras acima relatadas: duplicar uma estrada federal, a BR-232, de São Caetano até Arcoverde (100 km), instituir o bilhete único na área metropolitana e construir três novos hospitais regionais e seis UPA´s.

Candidatos com o texto do seu marqueteiro prometem resolver todos os problemas. O eleitor acredita, vota e desanima, ao ver que foi enganado. Não devemos esquecer que somos nós, os eleitores, que escolhemos aqueles que irão nos governar. Portanto, “olho neles”. Cabe ao eleitor/cidadão valorizar seu voto, não se deixando iludir com candidaturas que vendem ilusões.



Saiba mais sobre o Fórum Social temático Energia de 7 a 10 de agosto em Brasília, CLIQUE AQUI.

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Escolas de São Gonçalo ganham novo mobiliário

A Secretaria Municipal de Educação de São Gonçalo do Amarante está recebendo esta semana o novo mobiliário adquirido pelo órgão que será destinado às escolas públicas do município. Na manhã desta sexta-feira (27) o prefeito Jaime Calado acompanhou a chegada de parte do material.
Com essa aquisição o investimento total foi da ordem de R$ 800 mil. São 50 conjuntos com três mesas acopladas e 10 cadeiras para os refeitórios, 50 conjuntos infantis com 6 mesas e 6 cadeiras no formato de figuras geométricas que vão atender cerca de 300 alunos do ensino infantil.
Para o ensino de 1º ao 5º ano são mais 2.580 carteiras escolares com cadeiras. Serão empregadas 1.390 cadeiras com pranchetas integradas para as turmas do 6º ao 9º ano. A aquisição vai beneficiar ainda os professores de todas as unidades escolares com 154 birôs novos com cadeiras.  O ensino especial para portadores de necessidades especiais vai receber 108 mesas.
“O investimento na educação de São Gonçalo é constante e no nosso governo é prioridade. Estamos adquirindo um material moderno, de qualidade e resistente. Desde o início da nossa gestão que trabalhamos para equipar as escolas, desde a cozinha aos laboratórios de informática. Precisamos oferecer as melhores condições de ensino para os nossos alunos e estamos buscando isso”, enfatizou Jaime Calado.
De acordo com o secretário municipal de Educação, Abel Neto, no início do ano letivo foram adquiridas cerca de 7 mil cadeiras escolares, totalizando um montante de mais de 14 mil carteiras e cadeiras escolares nos últimos cinco anos da administração.  
Texto e fotos (de Isaías Carlos) encaminhados pela Secretaria Municipal de Comunicação.



Pesquisa do Ibope coloca Henrique com 15 pontos acima do 2º colocado

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Alves (PMDB), lidera a disputa para o Governo do Estado com 15 pontos de vantagem sobre o vice-governador Robinson Faria(PSD), segundo a pesquisa Ibope/96 FM,  divulgada no final da manhã desta sexta-feira(27). Levantamento ocorreu entre 22 e 25 de junho.
No primeiro levantamento realizado pelo Ibope no Rio Grande do Norte sobre as eleições de 2014, Henrique aparece com 36% da preferência dos entrevistados, enquanto Robinson Faria está com 21 pontos percentuais. Simone Dutra(PSTU), tem 2% e Robério Paulino do PSOL aparece com um ponto.
O candidato Araken Farias não foi citado. Não responderam ou disseram não saber em quem votar, 11% dos entrevistados enquanto 27% afirmaram votar em branco ou nulo.
O Ibope também quis saber se, independente da intenção de voto, quem o eleitor acredita que será o futuro governador do Rio Grande do Norte. Para 45% dos entrevistados, será Henrique Alves, enquanto 20% citaram Robinson Faria, 1% Simone Dutra e 1% Robério Paulino. Henrique Alves lidera por grau de escolaridade, renda familiar e faixa etária e na ampla  maioria das regiões. 
O Ibope também mediu a rejeição dos candidatos a governador e o resultado foi o seguinte: Araken Farias (26%), Robinson Faria e Robério Paulino(25%), Henrique Alves(24%), Simone Dutra(13%). Onze por cento disseram "poder votar em todos" e 27% não responderam ou disseram que não sabem em quem votar.
Para o Senado, a ex-governadora Wilma de Faria (PSB) está em primeiro lugar com 39% dos votos contra 29% da deputada federal Fátima Bezerra(PT). Roberto Ronconi do PTC tem 3% e  Ana Célia do PSTU aparece com dois pontos. Segundo o Ibope, 20% votarão em branco ou nulo e 8% não souberam responder ou não sabem.
A rejeição para o senado está assim: Ana Célia(30%), Fátima Bezerra e Roberto Ronconi (26%) e Wilma de Faria(25%), enquanto 6% afirmaram que podem votar em todos e 26% não souberam ou não responderam.
O Ibope ainda pesquisou a intenção de voto para a Presidência da República e Dilma Rousseff lidera com folga (51%), contra 10% do senador  Aécio Neves(PSDB) e 8% do ex-governador de Pernambuco  Eduardo campos(PSB). O Pastor Everaldo tem 3% e José Maria, um por cento. Outros candidatos somaram 2%. Brancos e nulos totalizaram 19% e 7% não sabem ou não responderam.
A pesquisa avaliou a administração da governadora Rosalba Ciarlini (DEM). O índice de desaprovação em todo o Estado é de 79% enquanto 17% aprovam Rosalba. Cinco por cento não sabem ou não responderam. Para 1%, a administração estadual vem sendo ótima, 6% consideram boa, 12% ruim e 58% acham péssima.
De acordo com o Ibope, o trabalho da presidente Dilma Roussef é aprovado por 64% dos potiguares, para 32% de desaprovação. A gestão Dilma alcançou índice de 10% de avaliação ótima, 35% de boa, 35% de regular, 5% de ruim e 14% de péssima.
A pesquisa Ibope/96 FM  está registrada no Tribunal Regional Eleitoral(TRE), sob o protocolo No RN -00005/2014 e no TSE pelo protocolo BR-00185/2014. Foram entrevistadas 812 pessoas, a margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou menos e o nível de confiança é de 95%.  Segundo o Ibope, quando há caso em que a soma dos percentuais ultrapassa 100%, o motivo é arredondamento ou múltipla resposta.

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Henrique apresenta balanço do trabalho legislativo em 2014. Veja vídeo

CLIQUE AQUI para baixar em seu computador e ver o vídeo do pronunciamento feito pelo presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, em rede nacional de rádio e TV.

São Gonçalo paga salários de junho nesta sexta

O prefeito de São Gonçalo do Amarante, Jaime Calado, reuniu-se na manhã de hoje (26) com o secretário municipal de Administração e Recursos Humanos, Miguel Teixeira, e autorizou a antecipação do pagamento da folha do mês de junho. Os servidores públicos do município vão amanhecer nesta sexta-feira (27) com os salários depositados nas contas.
Com a decisão o município antecipa também a injeção na economia local de R$ 5,2 milhões, valor da folha de pagamento da Prefeitura Municipal, exatamente no período festivo em comemoração ao dia de São Pedro e do jogo da Seleção Brasileira do próximo sábado (28).  
Jaime acredita que a medida só foi possível pelo trabalho comprometido da equipe técnica do governo. “Não encaramos a antecipação como luxo por que as dificuldades financeiras são grandes, mas foi possível graças a Deus e ao trabalho responsável que estamos fazendo, com redução de gastos e economia, que nos permite oferecer essa satisfação aos nossos servidores”, disse.
No dia 19 deste mês a Prefeitura de São Gonçalo antecipou o pagamento de 50% do décimo terceiro salários dos servidos efetivos e cargos comissionados.
Nota e foto encaminhadas pela Secretaria Municipal de Comunicação.

terça-feira, 24 de junho de 2014

Proposta de ruptura com o PT agrega 41% do PMDB nacional

Recebo do deputado federal Darcisio Perondi (PMDB-RS) está distribuindo a seguinte correspondência encaminhando em anexo nota do chamado "PMDB independente":

Com convicção, encaminho o MANIFESTO DO PMDB INDEPENDENTE lançado na Convenção Nacional do dia 10 deste mês, em Brasília. Ele reflete o pensamento de um grupo de deputados e senadores em relação à aliança com o PT.
Os peemedebistas do Brasil passam a saber que há um novo pensamento e novas ideias dentro do PMDB Nacional. A proposta de ruptura com o PT atingiu 41% dos convencionais.
Estou orgulhoso de ser um líder deste movimento renovador.
                   VIVA O PMDB !
 
                  Darcísio Perondi

Abaixo, o texto integral o manifesto do PMDB independente:

Partido Ecológico instala comissão em Jandaíra

A posse da comissão provisória do Partido Ecológico Nacional (PEN), em Jandaíra, ocorreu no último sábado. Na ocasião, assumiu a presidência o ex-vereador José Wilton e a vice-presidência o líder da comunidade de Tubibal, Rogério.

O presidente estadual do partido, Luiz Gomes, foi recepcionado pelo líder Jose Wilton e demais membros do partido e também pela classe política jandairense, à frente os ex-prefeitos Silvano Pinheiro e Manoel Martins, o presidente da Câmara, vereador Laercio França, e o vereador Bambão. 

O evento ficou marcado pela grande quantidade de pessoas presentes. A ex-vice-prefeita, presidente do PSD local Edilma, atualmente uma grande liderança política local, disse que iria colaborar com a formação de uma frente de partidos que junto pensam em dias melhores para Jandaíra. 
Ainda em seu discurso, falou que o Dr Luiz Gomes, vem sem dúvidas somar e preencher uma lacuna que ficou no Mato Grande deixada pelos ex-deputados Amaro Marinho e Antônio. Para finalizar, o ex-vereador Marcos Pepé afirmou: "Luiz Gomes, o RN conhece, o Mato grande precisa”.
Texto encaminhado pela Assessoria de Imprensa do PEN.

Raniere obtém desfiliação do PRB e entra no PDT

A nova escolha partidária do vereador licenciado e atual secretário municipal de serviços urbanos, Raniere Barbosa, será o Partido Democrático Trabalhista (PDT).  A assinatura da ficha de filiação, ao PDT, ocorrerá na próxima sexta-feira, 27, às 14h, durante a convenção estadual do partido. O evento acontecerá no ginásio do Colégio Dom Bosco, localizado no Gramoré.

A definição, quanto à escolha do novo partido, surgiu após o convite do amigo e prefeito de Natal, Carlos Eduardo. “Apesar de ter sido procurado por outros partidos. Decidi seguir a linha de coerência política, pois faço parte do grupo político do prefeito de Natal, e não hesitei quando o mesmo fez o convite”, declara.

Sobre as perspectivas politicas, Raniere Barbosa acrescentou ainda, “Quero realizar no PDT, o mesmo que fiz enquanto estive a frente do Partido Republicano Brasileiro, levar um número expressivo de filiados e futuros agentes políticos, sempre com intuito de fortalecer, prioritariamente, as bases em Natal e também no interior do estado”, afirma.

A Desfiliação
O advogado do vereador, Kennedy Lafaite Diógenes, explicou que dentro do processo de desfiliação não houve questionamento do partido. “O relator do processo no TRE, desembargador João Rebouças votou como procedente o pedido, a fim de declarar a existência de justa causa à desfiliação (…), sem qualquer prejuízo ao mandato de vereador de Natal/RN, obtido nas eleições municipais de 2012, nos termos do voto do relator, parte integrante da presente decisão”.
Por unanimidade, os demais membros da Corte acompanharam o entendimento do relator. Na decisão publicada no dia 14 de maio, no Diário Eletrônico da Justiça Eleitoral, consta que “ à unanimidade de votos em rejeitar preliminar suscitada pelo Ministério Público; no mérito, pela mesma votação, em dissonância com o parecer ministerial, em julgar procedente o pedido, a fim de declarar a existência de justa causa à desfiliação(…)”.
Texto encaminhado pela Assessoria de Imprensa de Raniere Barbosa.

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Artigo de Heitor Scalambrini Costa, prof. da UFPE

Suape: promessas não cumpridas (2)

Heitor Scalambrini Costa
Professor da Universidade Federal de Pernambuco e
Coordenador Geral do Fórum Suape – Espaço Socioambiental

O Complexo Industrial Portuário de Suape (CIPS), chamado por segmentos da sociedade pernambucana de “joia da coroa”, “locomotiva do desenvolvimento”, “poupança do povo”, “redenção do Nordeste”, e “Eldorado”, entre outros, vive momentos de desnudamento de uma realidade cruel.
Movimentos sociais, ao longo dos anos, têm denunciado questões referentes à ação da empresa Suape – como a imoralidade dos procedimentos judiciais que tramitam na Vara Privativa da Fazenda Pública da Comarca do Cabo de Santo Agostinho; o desvio de verbas públicas, através do ajuizamento de ações judiciais e simulação de audiências não realizadas nessa mesma Vara da Fazenda; os danos ambientais e sociais causados pela empresa; a continuada violação de direitos humanos; o tráfico de influência no Poder Judiciário de Pernambuco; a ausência do Ministério Público nos procedimentos de remoção/expulsão de milhares de famílias da área; e a falta de legitimidade da empresa Suape como proprietária das terras que hoje abrigam o Complexo.
Com a atração de inúmeras empresas, como refinaria, estaleiros, termoelétricas, siderúrgica e petroquímica, o que se verifica há alguns anos é o completo desrespeito às leis vigentes por parte da empresa gestora do Complexo; é a falta de responsabilidade social das empresas que lá se instalaram; e, principalmente, a visão anacrônica do governo estadual, responsável pela degradação ambiental daquele território. Os reflexos desta política obstinada, que considera a natureza um entrave ao crescimento econômico, inclui a interrupção drástica e dramática dos modos de vida da população local – ferindo direitos adquiridos de pescadores, marisqueiras e agricultores familiares, expulsos de suas moradias, abandonados sem condições de trabalho ou qualquer assistência social digna desse nome.
O mantra mais utilizado pelo governo estadual em suas ações de marketing político, que o tem projetado nacionalmente, é a geração de empregos e o aumento da renda proporcionado pela implantação desse Complexo Portuário e Industrial. Sem dúvida, cresceu muito o emprego de baixa qualidade, temporário, com salários irrisórios, devido às obras de construção dos empreendimentos, atraindo tanto trabalhadores pernambucanos como de outras regiões do país. Todavia, agora, com o término desta etapa de construção civil, os responsáveis se vangloriaram e manipularam a opinião pública, “lavam as mãos” perante o comportamento de empresas que não cumprem suas responsabilidades sociais e trabalhistas para com os seus empregados. Um comportamento no mínimo irresponsável.
A promessa de emprego abundante, usada na propaganda política, se tornou um verdadeiro calvário para os trabalhadores. O Ministério Público do Trabalho (MPT) estima que as empresas do Complexo vão demitir mais de 50 mil trabalhadores entre 2014 e 2016, em particular, aqueles que trabalharam na construção da Refinaria e de outras obras da Petrobrás.
Na tentativa de fazer valer os direitos legítimos daqueles que com sua força física ajudaram na construção de Suape, e preocupado com o desemprego em massa, o MPT criou, em dezembro de 2013, o Fórum para Recolocação da Mão de Obra de Suape (REMOS), tentando assim minimizar o que já estava acontecendo: demissões em larga escala, calotes das empresas, como o não pagamento de salários, um total desrespeito a direitos básicos da classe trabalhadora.
O que se verifica atualmente no território de Suape é a barbárie nas relações entre o capital e o trabalho, com a omissão do governo do Estado e da Empresa Suape. Sem tirar, obviamente, a responsabilidade da Petrobrás que contratou os consórcios de empresas para a realização das obras. Os responsáveis pelo descalabro existente não se manifestam diante da gravidade da situação. Fazem de conta que não é com eles.
A situação é explosiva e muito tensa. Diante da falta de cooperação das empresas que insistem nas irregularidades, o Fórum REMOS foi desfeito no inicio do mês (4/6) pelo MPT. Os trabalhadores, devido à falta de pagamentos dos salários e das garantias que lhes concede as leis trabalhistas, estão sendo despejados de onde vivem, não tendo sequer dinheiro para suprir suas necessidades materiais de sobrevivência. São relatadas situações em que famílias perderam o direito ao plano de saúde, com todas as consequências que isto implica.
Revoltados com a demora no atendimento de seus legítimos direitos, as vias de acesso ao Complexo têm sido tomadas por estes trabalhadores, que denunciam o abandono a que estão submetidos. Os órgãos de repressão, chamados para “garantir a ordem”, espancam e prendem trabalhadores em violentos e injustificados embates.
Promessas de trabalho. Promessas de vida melhor. Promessas e mais promessas, agora desmascaradas, desnudam a realidade da “gestão moderna e eficiente” do governo de Pernambuco, cuja propaganda cínica segue à risca a Lei de Ricupero: “No governo é assim: o que é bom à gente mostra; o que é ruim a gente esconde”.

Ouça o programa de Henrique desta segunda-feira

CLIQUE AQUI.

domingo, 22 de junho de 2014

Governador do Ceará desmaia e é retirado da convenção do PDT, em Fortaleza

Henrique Eduardo Alves: mais de 40 anos de vida pública ...

Artigo de Paulo Afonso Linhares

ORGULHOSAMENTE SÓS

Paulo Afonso Linhares

Num gravíssimo momento da vida político-institucional portuguesa, em 1932 tornou-se presidente do Conselho de Ministros - órgão de cúpula da administração do Estado lusitano de então - o economista conservador António de Oliveira Salazar que, após "legitimado" através de plebiscito  realizado em 1933, o povo português lhe conferiu poderes absolutos e imperiais. E não era para menos, pois, pelo sistema de votação adotado, todas as abstenções eram computadas como "sim" e o resultado foi uma esmagadora vitória daquilo que se transformaria numas das mais prolongadas, retrógradas  e sanguinárias das ditaduras do século XX.  A concepção salazarista se traduzia numa espécie de corporativismo de Estado autoritário fundado na doutrina do nacionalismo econômico radical e na noção de autarcia, ou seja, de um Estado de economia fechada que basta a si mesmo, tendo como ferramentas o protecionismo e o isolacionismo. Por isto que o lema isolacionista e imbecilóide  do regime salazarista era: Orgulhosamente sós. E isto  dizia tudo!

Quando se pensava que o ideário salazarista estava morto e enterrado, quatro décadas após a patética morte do velho Salazar, eis o isolacionismo, de feição meramente política, rebrotou com força cá neste sertão potiguar, entre cactáceas e bromeliáceas: o casal reinante no governo do Rio Grande do Norte, Carlos Augusto Rosado e a governadora Rosalba Ciarlini Rosado, resolveram romper com o vice-governador Robinson Faria, do PSD, além de alijar do governo os aliados peemedebistas liderados pela dupla Garibaldi Filho/ Henrique Alves. O mais grave, porém, foi igualmente o distanciamento que mantiveram do senador José Agripino, presidente nacional e estadual do seu partido, o DEM, além do deputado federal Felipe Maia e outras lideranças democratas. Enfim, embora tenha Rosalba conseguido o governo com o apoio de todas essas forças políticas, Carlos/Rosalba resolveram governar sozinhos, orgulhosamente sós, como rezava o jargão salazarista.

O que não estava no script de Rosalba, pessoa inegavelmente dotada de vocação política, era uma carrada de enormes problemas que desarranjam as diversas áreas de seu governo desde os  primeiros dias. De princípio foi criado um conselho político composto  por ela, o marido/mentor político Carlos Augusto, Robinson Faria, José Agripino, Garibaldi Filho, Henrique Alves e João Maia. Ao que parece, esse conselho somente se reuniu uma vez para as fotos da imprensa. E nada aconselhou, pois, Carlos/Rosalba optaram por um perigoso isolamento político,  tendo como consequência  inevitável o agravamento da crise do seu governo, que passou a ter feição própria, pois, não dava mais para continuar de olho no retrovisor com acusações ao governo anterior de Wilma de Faria/Iberê Ferreira de Souza. Na verdade, Rosalba "micarlizou" o seu governo, com todos os erros e trágicos detalhes da passagem de sua aliada Micarla de Souza pela Prefeitura Municipal de Natal.

Enfim, os aliados se foram todos e os correligionários do DEM, à frente o senador José Agripino, também, "pegaram o beco". O mentor político Carlos Augusto, no usufruto da fama de estrategista, nem assim tão merecida, decerto apostava na capacidade  de articulação política que desenvolvera nos três mandatos da esposa Rosalba frente à Prefeitura de Mossoró, quando tivesse que montar o projeto de reeleição da governadora, além do uso, em favor da Rosa, dos poderes miraculosos da Copa da FIFA . De começo, um erro elementar de perspectiva política,  apontado por nove entre dez analistas política do RN: as práticas políticas de Mossoró seriam inservíveis na aplicação a um contexto mais amplo; assim, por exemplo, o relacionamento da Prefeitura mossoroense com a Câmara Municipal de Mossoró  jamais poderia servir de modelo para as relações bem mais complexas que o governo do Estado do Rio Grande do Norte deve manter com a Assembleia Legislativa,Tribunal de Justiça e Ministério Público. Aliás, no bojo de uma dessas crises de relacionamento, quando estava em pauta o repasse das parcelas duodecimais ao Tribunal de Justiça e Ministério Público,a governadora Rosalba os comparou - mal comparando mesmo! - a dois garotos birrentos que brigam põe aumento das respectivas mesadas. Agressão inadmissível, a partir da qual o diálogo interinstitucional ficou dificílimo. Fato é que, não mais podendo imputar a Wilma/Iberê as dificuldades do seu governo, Rosalba voltou as baterias para os outros poderes, acusando-os de drenar parcelas substanciais da receita estadual para gasto perdulário e pouco criterioso.  Diante do princípio da separação dos poderes jamais poderia enveredar por esse caminho.

Por fim, muito tem vociferado Rosalba e seus seguidores com a derrota que lhe foi imposta pelo senador Agripino na recente convenção do DEM, que negou legenda àquela para pleitear a reeleição às eleições de outubro próximo. Fala de traição, em fidelidade de trinta anos etc, enquanto o presidente do DEM fria e precisamente argúi a questão de sobrevivência política do partido e de suas lideranças parlamentares como impeditiva de um atrelamento ao projeto de reeleição da governadora Rosalba. Na verdade, o senador Agripino apenas cobrou a conta pelo olvido e distanciamento que lhe foram imposto pelos correligionários Carlos Augusto/Rosalba, que optaram por governar o RN, no quadriênio 2011-2014, orgulhosamente sós. E conseguiram, mas, a um custo difícil da avaliar neste momento. 

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Criador de Sherlock Holmes seguia o espiritismo - revela carta inédita

Uma carta inédita do escritor irlandês e criador do detetive Sherlock Holmes, Arthur Conan Doyle (1859-1930), que confirma sua crença na doutrina espírita, está sendo exposta na Biblioteca Britânica de Lobdres - informa o site espanhol abc.
Na carta, dirigida a sua mãe, o escritor externa preocupação por seu filho, Alleyne Kingsley Doyle (1892-1918) que, então, lutava na Guerra Mundial.
- Não tenho medo da morte dele. Des que me convertiu em um espiritualista convicto, a morte se converteu em uma coisa necessária. Mas, te mo, enormemente, a dor e a mutilação - diz ele.
Para ler reportagem completa no site espanhol, CLIQUE AQUI.

Como será o Corpus Christi para os católicos de Natal

A Igreja Católica celebra a solenidade de Corpus Christi (Corpo e Sangue de Cristo), nesta quinta-feira, 19. 
Em Natal, as Paróquias da Catedral e de Nossa Senhora da Apresentação (antiga Catedral), ambas na Cidade Alta, montaram uma programação, que tem início nesta quarta-feira, 18, às 20 horas, com um concerto da Camerata de Vozes, regida pelo Padre Pedro Ferreira. 
A apresentação acontecerá na Capela do Santíssimo, situada no subsolo da Catedral Metropolitana e contará, no repertório, com peças sacras, da polifonia renascentista.
Após o concerto, terá início uma vigília de adoração a Jesus Sacramentado, que será encerrada às 6 horas desta quinta-feira, com um café comunitário. 
Às 7 horas da manhã, na Catedral Metropolitana será celebrada missa, presidida pelo Arcebispo, Dom Jaime Vieira Rocha. 
Após a missa, haverá procissão, com Jesus Eucarístico, com destino à Igreja Matriz de Nossa Senhora da Apresentação, também conhecida como antiga Catedral, onde será dada a bênção do Santíssimo Sacramento.
Nota encaminhada pela PASCOM da Arquidiocese de Natal.

Ouça o programa de Henrique desta quarta-feira

CLIQUE AQUI.

terça-feira, 17 de junho de 2014

Ouça o programa de Henrique desta 3ª feira

CLIQUE AQUI.

Governadora recepciona o vice-presidente dos Estados Unidos

A Governadora Rosalba Ciarlini recebeu na noite desta segunda-feira (16), na base Aérea, em Parnamirim, o vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, que veio a Natal prestigiar a estreia do país na Copa do Mundo contra Gana, na Arena das Dunas. 

O presidente que foi acompanhado da embaixadora dos Estados Unidos no Brasil, Liliana Ayalde, e da cônsul do país em Recife, Usha Pitts,  agradeceu ao apoio dado pela Governadora na cidade-sede. 

Rosalba Ciarlini lembrou a parceria histórica entre potiguares e americanos durante a II Guerra Mundial, quando Parnamirim passou a ser conhecida como o Trampolim da Vitória em virtude dos êxitos nas batalhas travadas na Europa. 

Rosalba Ciarlini e o vice-presidente trocaram presentes, e a Governadora recebeu um convite para visitar Washington após o Mundial.
Texto e fotos (de Elisa Elsie) encaminhados pela Assessoria de Comunicação do governo do RN.


PV-RN realiza convenção no sábado, 21

A apresentação da nominata para as Eleições 2014 do Partido Verde será no próximo sábado, 21 de junho, a partir das 10h, na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte.

Será consolidada a Coligação para a chapa majoritária, assim como também apresentados os nomes que disputarão o parlamento estadual e federal nas próximas eleições.

O senador Paulo Davim (PV-RN) tem reiterado por diversas vezes a importância de apresentar bons nomes e com fortes chances de representarem o pensamento do PV, assim como também representar os anseios de renovação da população do Estado.
Nota distribuída pela Assessoria de imprensa do senador Paulo Davim, presidente estadual do PV no Rio Grande do Norte.

Nova Acrópole anuncia palestra gratuita no Midway


O simbolismo da Odisseia de Homero
Palestra gratuita na Livraria Saraiva do Midway Mall
Sábado, 21 de Junho às 18h30
Confira nessa palestra o simbolismo de uma das principais obras da literatura ocidental e as relações com a saga humana.
Vagas Limitadas!
Curso de Filosofia Prática
Nova Turma
Segunda, 21 de Julho às 19h
Estão abertas as inscrições para a nova turma do Curso de Filosofia Prática na sede Nova Acrópole Natal. Garanta a sua vaga!
1 aula por semana | 2 horas de duração | 6 meses
Palestra em Nova Parnamirim
O Simbolismo do São João
Quarta, 18 de Junho às 20h
Compreenda as origens e o significado dessa tradição milenar da humanidade. Entrada franca!
Nova Acrópole Nova Parnamirim
Rua Barreira Roxa, 13 (rua da Schneider Eletric da Abel Cabral)
(84) 8825-9451 | (84) 9678-2999
Nova Acrópole - Rio Grande do Norte - Natal
(84) 3211-0748 | (84) 8602-5498
Rua Trairi, 516 – Petrópolis (Próximo à Praça Cívica)
http://acropole.org.br/brasil/sedes/natal.html

domingo, 15 de junho de 2014

Artigo de Paulo Afonso Linhares

O DECRETO DA DISCÓRDIA

Paulo Afonso Linhares

Uma das críticas mais frequentes feitas aos governos petistas, nos últimos 11 anos e meio, foi a circunstância de conviver com a estrutura arcaica e paternalista do Estado brasileiro, porquanto em momento algum tanto Lula quanto sua sucessora Dilma Rousseff lograram patrocinar reformas mais aprofundadas no perfil institucional cristalizado na Carta política de 1988. Aliás, uma dos raros mea-culpa do ex-presidente Lula sobre os seus oito anos na presidência da República foi não ter começado seu primeiro governo com a reforma política, embora tenha empreendido reformas constitucionais em matéria tributária e de previdência social - incompletas e muito capengas, sobretudo, a primeira - sob o signo daquilo que, posteriormente, viria ser chamado de "Mensalão", ou seja, não fosse um eficiente esquema de pagamento a parlamentares nem estas teriam se concretizado.

Para aprovação de uma reforma que representasse mutação superestrutural mais profunda capaz de modernizar as instituições jurídico-políticas brasileiras, o governo Lula teria necessitado de muito mais musculatura e certamente de algo mais eficiente do que o compra-compra pontual de deputados e senadores: para conseguir os cinco anos de mandato presidencial, o cobra criada José Sarney promoveu fartíssima distribuição de emissoras de rádio e de televisão; sem destoar dessa prática política clientelística, o acadêmico Fernando Henrique quase torra o dinheiro do BNDES para conseguir a aprovação, no Congresso Nacional, da reeleição para cargos executivos, contrariando a tradição constitucional brasileira.

Enorme polêmica levantou a presidenta Dilma, recentemente, com a edição do Decreto nº 8.243, de 23 de maio de 2014, que "institui a Política Nacional de Participação Social (PNPS) e o Sistema Nacional de Participação Social (SNPS)". Os conservadores de todos os matizes têm jogado os cachorros contra Dilma, acusando-a de "bolivarização" ou, mais grave, de "cubanizar" o Brasil, passando pela imputação de autoritarismo velado e de agressão às instituições vigentes. A acusação, todavia, que causou mais impacto foi a de que a presidente pretende criar instâncias deliberativas paralelas ao Congresso Nacional, inclusive para possibilitar que o seu partido, o PT, continue a dar as cartas na política nacional, mesmo que eventualmente perca a presidência da República. A partir daí não tem limite o que os opositores do governo Dilma, entre a paranoia e o histerismo anticomunista, começam a engendrar.

Claro que, sem entrar em aspectos materiais do decreto em comento, inegável que ele padece de dois vícios: ter versado sobre temática somente cabível em lei complementar e não ter sido objeto de discussão prévia com a sociedade civil e, sobretudo, com as outras instâncias institucionais da República, mormente os poderes Legislativo e Judiciário. Erigir novas instituições políticas cujo desiderato é "fortalecer e articular os mecanismos e as instâncias democráticas de diálogo e a atuação conjunta entre a administração pública federal e a sociedade civil" com a utilização de simples decreto parece um grave erro, sobretudo, quando escamoteia a discussão imprescindível do tema nas duas casas do Congresso Nacional.


Aliás, o uso de uma espécie legislativa inadequada, pelo baixo grau de legitimidade que enseja, como é o decreto, termina por alimentar as especulações conservadoras de uma postura golpista por parte da presidenta Dilma, embora seja absurda a argumentação de que as instâncias instituídas pelo Decreto nº 8.243/2014 serviriam para perpetuar o PT no poder, mesmo na hipótese de a oposição vencer a eleição presidencial deste ano; nada mais tolo: a vitória de um dos opositores de Dilma seria suficiente para, em primeiro de janeiro de 2015, impor revogação desse decreto. Rápido e simples. Infinitamente bem mais fácil, sim, do que revogar uma lei complementar, por exemplo. Ao que parece, o que remanesce dessa discussão toda é a utilização política negativa desse decreto, pela oposição, à falta de algo mais consistente que possa colocar Dilma e seu padrinho político, o ex-presidente Lula, no canto do ringue da política brasileira. O povo eleitor nem dá trela para o besteirol pedante que envolve essa celeuma de abstrações e jurisdicismos intraduzíveis para a sua linguagem. O chamado homo medius está mais preocupado é com coisas bem concretas do seu cotidiano: o preço dos alimentos, melhores condições de moradia, transporte, segurança, educação e saúde. Por isto, a investida da oposição a Dilma soa fortemente como coisa de amadores.

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Chuva em São Gonçalo cancela festa de Santo Antônio

A Prefeitura de São Gonçalo do Amarante anunciou na tarde desta sexta-feira (13) o adiamento da tradicional Festa de Santo Antônio, marcada para a noite de hoje. 
A decisão da comissão de eventos ocorreu em função das fortes chuvas que estão caindo no município, inviabilizando a montagem da estrutura e como forma de garantir a segurança dos trabalhadores, artistas e do público. 
Estavam programados os shows das bandas Forró de Griff, Forrozão do Riva Júnior e Forró Swingado. O evento será realizado numa nova data que ainda será definida.
Nota encaminhada pela Secretaria  Municipal de Comunicação.

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Ouça o programa de Henrique desta 4ª feira

CLIQUE AQUI e ouça.

Natal terá missas em espanhol, italiano e inglês durante a Copa

Durante o período da Copa do Mundo, especialmente na primeira fase, quando acontecerão jogos na capital potiguar, a Arquidiocese de Natal celebrará quatro missas em idiomas estrangeiros (espanhol, italiano e inglês).  
No próximo domingo, 15, às 9 horas, na capela do Santíssimo Sacramento, situada no subsolo da Catedral Metropolitana, será celebrada missa na língua espanhola, presidida pelo Cônego José Mário de Medeiros, pároco da Paróquia do Bom Jesus das Dores, na Ribeira,  e, às 10 horas, em inglês, presidida pelo Padre Valdemar Fernandes de Pinho, pároco da Paróquia do Beato Padre Ambrósio Francisco Ferro, no Planalto.
No dia 22, às 9 horas, também na Capela do Santíssimo Sacramento, no subsolo da Catedral, a celebração será em italiano, presidida pelo pároco da Catedral, Padre Valdir Cândido de Morais, e, às 10h, em espanhol, presidida pelo Padre Agustin Calatayud Salon, pároco da Paróquia de Nossa Senhora da Esperança, na Cidade da Esperança.
O Arcebispo Metropolitano, Dom Jaime Vieira Rocha, criou uma comissão para organizar as celebrações, com o objetivo de acolher bem os fiéis estrangeiros que estarão em Natal, por ocasião dos jogos da Copa do Mundo.
Já, na Catedral Metropolitana, nos dois domingos, 15 e 22, as celebrações, na língua portuguesa, permanecem nos horários habituais: 7h, 11h e 19 horas.
Nota distribuída pela Pascom  da Arquidiocese de Natal.