terça-feira, 29 de abril de 2014

Ouça o programa de Henrique desta 3ª feira

CLIQUE AQUI e ouça o programa de Henrique desta terça-feira, dia 29.

Governo do RN pagará o mês de março em duas datas

A Assessoria de Comunicação do Governo do RN distribuiu hoje a seguinte nota:

     As Secretarias de Estado do Planejamento e das Finanças (Seplan) e da Administração e dos Recursos Humanos (Searh) comunicam que o pagamento dos salários dos servidores estaduais relativo ao mês abril será escalonado da seguinte forma:  
nesta quarta-feira (30), às 14h, será creditado o pagamento de todos os servidores da Segurança, Saúde, Educação, UERN (independente do valor do salário) e de todos os demais servidores das outras áreas que recebem até R$ 5 mil líquidos (99.514 servidores, equivalente a 97% da folha).  
         No dia 09 de maio, sexta-feira, recebem os 3.078 servidores que ganham acima de R$ 5 mil líquidos. 

Veja lista de odontólogos que têm precatórios a receber no RN

A Secretaria da 10ª Vara do Trabalho de Natal está aguardando o comparecimento de 23 odontólogos – ou de seus dependentes – para liberar o pagamento de R$ 550 mil de um precatório relativo a uma ação movida pelo Sindicato dos Odontólogos do Rio Grande do Norte contra o Governo do Estado.

Desde 2011 que o TRT-RN vem realizando o pagamento dos precatórios dessa ação, mas ainda restam receber esses beneficiários ou seus dependentes.

Confira a lista completa: 
Rivânia Gomes de Menezes, Nádia da Silva Gomes, Maria Cristina Gomes da Silveira, Ademar Silva Araújo, Anália de Oliveira Lima, Odett Roseli Garcia Maranhão, Ednalvis Santos Soares M. de Miranda, Maria Salete Silva dos Santos, Elma Alves da Silva Miranda, Ilma Fernandes Pascoal Torquato, Maria Creuza Soares, José Maria de Souza Luiz, Roberto Rodrigues da Silva, Marcos Afonso de Medeiros, Ana Maria Ferreira da Silva, Conceição de M de Morais Vasconcelos, Acyr Miguel Pereira da Silva, Maria do Carmo de Macedo Freitas, Francisca Miriam Silva, Hélio Rodrigues Machado, José Absalão Tinoco, Maria do Socorro Azevedo Tavares e Elizanete de Souza R. Gaião.
Nota encaminhada pela Coordenação de Comunicação do TRT-RN.

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Carga tributária brasileira chegou a 742 bilhões de dólares em 2013

Se esses 742 bilhões de dólares constituissem o PIB brasileiro seria o 19º PIB do mundo - disse o presidente da Fecomércio-RN, Marcelo Queiroz, no seminário "Motores do Desenvolvimento", cuja 20ª edição mensal foi realizada nesta segunda-feira em Natal.
Em seu pronunciamento, o líder empresarial foi implacável:
- Os brasileiros pagaram em tributos, no ano passado, o equivalente a uma vez e meia o PIB da Argentina e da Bélgica; duas vezes o PIB de países como os Emirados Árabes Unidos, Singapura e Hong Kong; e, pasmem, 15 vezes o PIB do Uruguai.
- Dados recentes - destacou o presidente - apontam que fechamos o ano de 2013 com uma carga tributária equivalente a 36,42% do PIB - a maior da nossa história.
Em seu pronunciamento, Marcelo Queiroz lamentou a explosão inflacionária que se registra no país e que fez o Banco Central eleva a Selic para 11%, "patamar que não atingiamos há mais de dois anos".


FECOMÉRCIO reúne 40% do PIB potiguar

O presidente da Federação do Comércio do RN, Marcelo Queiroz, afirmou hoje que o segmento que representa responde por 40% do PIB do Rio Grande do Norte.
Ele falou durante a 20ª edição do seminário "Motores do Desenvolvimento", promovido pela Tribuna do Norte em parceria com a UFRN, FIERN e a própria Fecomércio.
Na edição realizada nesta segunda-feira, no auditório do Hotel Serhs, em Natal, Marcelo Queiroz acrescentou que o segmento empresarial representado pela Fecomércio acolhe 46% da mão-de-obra formalmente empregada no RN e contribui com 60% do ICMS arrecadado pelo Tesouro Estadual.

Ouça o programa de Henrique desta segunda-feira

Para ouvir, CLIQUE AQUI.

domingo, 27 de abril de 2014

Nova Acrópole de Nova Parnamirim: "Como administrar o tempo"

PROGRAMAÇÃO NOVA ACRÓPOLE NOVA PARNAMIRIM
Palestra: Como Administrar o Tempo
28/04, segunda-feira às 20h
ENTRADA FRANCA!
 
Palestra: O Mito de Teseu e o Minotauro
05/05, segunda-feira às 20h
ENTRADA FRANCA!
 
Palestra: O que é Vida interior?
12/05, segunda-feira às 20h
ENTRADA FRANCA!
 
Curso de Filosofia Prática - Nova Turma
19/05, segunda-feira às 20h
VAGAS LIMITADAS!
 
Nova Acrópole Nova Parnamirim
(84) 8825-9451 | (84) 9678-2999
Rua Barreira Roxa, 13 – Nova Parnamirim (rua da Schneider)
Nova Acrópole é uma organização sem fins lucrativos presente em mais de 50 países há 56 anos, e tem por objetivo desenvolver em cada ser humano aquilo que tem de melhor, por meio da Filosofia, da Cultura e do Voluntariado. Com seu Curso de Filosofia Prática adaptado para mais de 30 línguas e sem qualquer distinção de idade, condição social, posição política ou religiosa, tem beneficiado milhares de pessoas em todo o mundo que buscam conhecer-se, desenvolver-se e contribuir com a criação de um mundo melhor. Conheça mais em nossa página , ou visitando uma de nossas sedes .

Artigo de Paulo Afonso Linhares

DE REPÚBLICA E VESTAIS 
Paulo Afonso Linhares 
Professa a cultura de almanaques de hoje, do tipo Wikipédia, que na velha Roma foi instituído o culto de sacerdotisas à deusa Vesta. As vestais (emlatim virgo vestalis), como eram chamadas, se dedicavam a um sacerdócio (exclusivamente feminino, restrito a seis mulheres que seriam escolhidas entre a idade de 6 a 10 anos, servindo durante trinta anos) , quando “eram obrigadas a preservar sua virgindade e castidade, pois qualquer atentado a esses símbolos de pureza significariam um sacrilégio aos deuses romanos e, portanto, também à sociedade romana”. Tal era o rigor das vestais e mesmo da sociedade romana na preservação desses valores, que a palavra vestal evoluiu da acepção original de significar moça virgemdonzelacasta, para abranger também o gênero masculino, como sinônimo de puroextremeisentoimaculado e por aí vai. Enfim, para alguém do tipo “não me toques” se encaixa bem a expressão vestal.
Entretanto, no contexto republicano das comunidades marcadamente democráticas, vestais foram abolidos. Claro, as virtudes cívicas, o respeito às instituições jurídico-políticas ou, mais especificamente, o respeito à lei, substituem a noção de que alguém seria puro, imaculado, “acima de qualquer suspeita” ou “sabe com quem está falando?” tão somente por sua condição de membro de uma ilustre e tradicionhal família, ou que professa determinado credo religioso, filosófico ou por ser membro de alguma importante corporação profissional.
Com efeito, o credo republicano sufocou as (e os) vestais, de Roma aos dias que correm: ninguém deve estar isento de crítica, embora mandem as regras da convivência civilizada que todos os cidadãos merecem equânime tratamento respeitoso e digno, seja qual for o gênero, origem familiar, credo religioso ou filosófico, natureza étnica, profissão ou ofício. Em suma, mormente nos Estados Democráticos de Direito, a exemplo do brasileiro, os tratamentos com distinção de pessoa pelo sexo, cor da pele, credo ou condição social e profissional, afrontam o princípio da igualdade. Aliás, posto que as pessoas sejam desiguais na vida social, compete às instituiões jurídico-políticas, mormente às leis do Estado, a estruturação de mecanismos que promovam a igualdade.  Aliás, na obra A Política (p. 236), o filósofo ARISTÓTELES assevera: “A primeira espécie de democracia é aquela que tem a igualdade por fundamento. Nos termos da lei que regula essa democracia, a igualdade significa que os ricos e os pobres não têm privilégios políticos, que tanto uns como outros não são soberanos de um modo exclusivo, e sim que todos o são exatamente na mesma proporção”.
Lição bela e ainda válida para os dias que correm, sobretudo, para uma sociedade de uma elite atrasada e que abriga algumas castas de servidores do Estado que se posicionam acima do bem e do mal, se acham dignos tutores por excelência da sociedade e agem como genuínas vestais da pós-modernidade. Esta reflexão nasceu de duas simples notas publicadas na imprensa local, uma firmada pela poderosa AMARN- Associação dos Magistrados do Rio Grande do Norte, entidade que congrega os juízes e desembargadores deste estado, por sua presidente, e os juízes de direito da comarca de Mossoró; a outra, por membros do Ministério Público estadual com atuação na Comarca de Mossoró. Em resumo, ambas as notas traduzem no “irrestrito apoio aos juízes eleitorais responsáveis pela administração do processo eleitoral no município, juízes HERVAL SAMPAIO E ANA CLARISSE ARRUDA, magistrados sérios e dedicados, bem como de qualquer magistrado que, fiel a missão imposta, atue em prol da lisura do processo eleitoral”, porquanto “insatisfações relacionadas a decisões judiciais são normais em um ambiente democrático, mas eventuais ofensas às autoridades judiciárias representam risco e atentado à própria essência do Estado Democrático de Direito, em nada contribuindo para o avanço da cidadania.” Entretanto, se lhes caem bem as togas, de pouca valia têm, no chão republicano, os figurinos de vestais.
Que os juízes citados merecem o respeito e o apoio da comunidade mossoroense nenhuma dúvida há, a exemplo do que se pode afirmar tocante a outros servidores da sociedade: os garis, que nos livram do lixo de cada dia; os policiais, que vez por outra nos guardam dos perigos da criminalidade que campeia; os diversos profissionais que cuidam da saúde pública etc. Múltiplas e valiosas contribuições que decerto se somam àquelas dos cidadãos sem rosto nem detentores de pomposos títulos e que sequer perfilam nas hostes dos tais servidores do Estado. Que graves ofensas irrogaram contra esses juízes? Bobagens de trambadinhas cibernéticos, sem maiores consequências, mesmo porque a comunidade local sequer delas tomou conhecimento, isto sem falar que vez por outra algumas autoridadedes, inclusive judiciárias, se dão o cabimento de ficarem a bater boca nas redes sociais, com despiciendas explicações acerca do conteúdo de decisões pretéritas e, pasmem, futuras... Quem sai na chuva quer molhar-se: no ciberespaço todos são afoitos, terríveis e naturalmente iguais! Por isto é que, todavia, expressam essas notas muito barulho por nada. Much ado about nothing, como diria o bardo Shakespeare.
Ora, se ”eventuais ofensas às autoridades judiciárias representam risco e atentado à própria essência do Estado Democrático de Direito, em nada contribuindo para o avanço da cidadania”, em razão de algumas opiniões difusamente expressas em redes sociais contestando o agir desses magistrados, algo vai muito mal. Essas bobagens ditas no “tuíte” ou no “fuxibuque” jamais podem ser vistas como ameaças à democracia e ao avanço das boas praticas da cidadania: as instituições jurídico-políticas vigentes asseguram aos magistrados responsáveis pela condução do pleito suplementar total segurança e liberdade de agir, no cumprimento da lei e no exercício pleno do munus que cabe a cada um. E que esses desaforos devem ser pontualmente coibidos nos lindes da ordem jurídica, separando-se precisamente o que sejam legítimas manifestações da liberdade de expressão/opinião e os tantos abusos de direito que agridem a imagem e a honra alheias. Sem mais pirotecnia intimidatória ou desnecessárias exibições de musculaturas corporativas. O resto é conversa pra boi dormitar.

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Ouça o programa de Henrique desta 6ª feira

Para ouvir, CLIQUE AQUI.

Peça teatral revive lembranças dos anos 80 em Natal

Balão Mágico, Trem da Alegria, Sítio do Pica-pau Amarelo, Xuxa e He Man. Forte Apache, Aquaplay, Pogobol, Boneca Susi, Fofolete, Falcon e Bala Xaxá. E com a chegada da adolescência, lá vêm os bailes no Clube América, regados ao som de Eliane e Beto Barbosa, as festinhas americanas ou a pegada rockn´roll do RPM. 
Você por certo, se hoje passou dos 30, deve guardar todas estas lembranças! Já imaginou tudo isso reunido em um roteiro pra lá de divertido e embalado pelos clássicos que marcaram a época?
Um programa para a família inteira! No próximo dia 01 de Maio, feriado, a Cia Teatral Dueto traz novamente para Natal o espetáculo Mamãe Retrô. 
A peça tem feito sucesso entre crianças e adultos, que podem conhecer ou reviver as doces lembranças que marcaram a década de 80. 
A sessão acontece no dia 01 de Maio, feriado, às 17h, no Teatro Alberto Maranhão. 
O "Mamãe Retrô" tem feito sucesso entre os espectadores potiguares. 
A produção formada por jovens chama atenção pela pesquisa de referências dos anos 80 e pela costura entre as histórias que muita gente já viveu: as brincadeiras de criança, os primeiros amores, o noivado (que promete ser a novidade da temporada!) e, por fim, a realidade da mãe moderna. Cenas que encantam e divertem a plateia.
 “É incrível a receptividade que temos observado no público. É muito gostoso cultuar e reviver o que foi bom nas nossas vidas. A saudade pode ser uma aliada de momentos alegres, como os que se passam na história. A ideia do Mamãe Retrô é fazer com que pais vivam mais uma vez o que ficou guardado nas lembranças e que crianças também se encantem com a infância que um dia foi de seus pais. Não há espaço pra nostalgia. A proposta é mostrar que tudo o que vivemos outrora serviu para construir o que somos hoje”, conta Victor Ferreira, diretor da Cia. Teatral Dueto.
Os ingressos antecipados já estão à venda na Loja PUC do Midway Mall ou na bilheteria do TAM, ao preço de R$40 (Inteira) e R$20 (Meia).

 O QUÊ? ESPETÁCULO TEATRAL “MAMÃE RETRÔ”
QUANDO? 01 DE MAIO, FERIADO, ÀS 17h
ONDE? TEATRO ALBERTO MARANHÃO
QUANTO? R$ 40 (INTEIRA) E R$20 (MEIA)
INGRESSOS À VENDA: LOJA PUC. MIDWAY MALL (2º PISO) (3646-3520)
INFORMAÇÕES: (84) 3620-5262 (TELEPESQUISA)

Texto e fotos encaminhado pela assessoria de Imprensa da Companhia Teatral Dueto.




terça-feira, 22 de abril de 2014

Artigo de Heitor Scalambrini Costa, prof. da UFPE

Tarifas do setor elétrico: 
equilíbrio econômico-financeiro 
e qualidade dos serviços
Heitor Scalambrini Costa
Professor da Universidade Federal de Pernambuco
Desde os anos 90, o setor elétrico brasileiro vem passando por uma reforma institucional, cujos objetivos seriam o aumento da competição, a melhoria da qualidade dos serviços e maior participação de recursos privados na distribuição e transmissão do setor. No entanto, pode-se afirmar, o maior legado (negativo) deste período (que se convencionou chamar de “Nova República”) foram às mudanças introduzidas na forma de tarifação da energia elétrica.
A Lei 8.631, de 4 de março de 1993, promoveu uma profunda modificação na política tarifaria, estabelecendo que os parâmetros de preços seriam propostos pelas próprias concessionárias, com a homologação (conivente?) do Poder Concedente.
Com a liberalização econômica, a partir de 1995, a tarifação adota a metodologia do “Preço Teto Incentivado” (price cap), que fixa tarifas consideradas “adequadas” para remunerar e amortizar os investimentos, e cobrir os custos operacionais, além de receberem o benefício de reajustes e revisões.
Na formula de cálculo do índice de reajuste, a tarifa está indexada ao IGP-M (índice geral de preços do mercado), cuja evolução é bem superior ao IPC (índice de preços ao consumidor) e ao IPCA (índice geral de preços amplo), que regem os reajustes de salário e de preços ao consumidor. Na pratica, enquanto o salário sobe pela escada, as tarifas elétricas sobem pelo elevador.
Um “passar de olhos” nos balancetes anuais dessas empresas comprovam que os ganhos extraordinários das concessionárias se devem aos draconianos contratos de privatização – em particular os das distribuidoras.
A noção de equilíbrio econômico, introduzida nos contratos de privatização (ou “de concessão”) como mecanismo de proteção ao capital estrangeiro investido no setor elétrico, garante que os investimentos são sempre remunerados. E assim criou-se, no setor elétrico brasileiro, o “capitalismo sem risco”.
Na prática, o que acontece, e está previsto em lei, é que as distribuidoras são ressarcidas por qualquer interferência que afete os preços da energia por elas adquirida. O custo é sempre pago pelos consumidores (via tarifas), que subsidiam a saúde financeira dessas empresas, garantindo ganhos extraordinários a todas, mesmo quando a qualidade de seus serviços é sofrível.
Então, que fique bem claro, a “maracutaia” do famigerado “equilíbrio econômico-financeiro” das empresas está nos contratos de privatização, que desconsidera o equilíbrio do orçamento familiar e a competitividade dos bens e serviços fornecidos pelo setor industrial e comercial, que têm na energia elétrica um insumo importante. Logo, responsabilizar adversários políticos pelas altas tarifas é politicar e camuflar o real problema. A responsabilidade é do governo federal (que criou), que tem mantido a principal causa das tarifas estratosféricas de energia: os contratos de privatização – feitos sob encomenda para que as concessionárias ganhem sempre.
Neste inicio de ano (de 2014), a política energética tem contribuído para o aumento da inflação. Com a justificativa de que a energia das termoelétricas é mais cara – mais ainda com a contratação no mercado livre –, os reajustes tarifários chegam a ser de 2 a 5 vezes o IPCA (inflação). E o consumidor deverá perder até 50% do desconto recebido na conta de luz, em 2013. Para 2015 e anos posteriores, antecipa-se mais aumentos significativos na conta de luz.
Os aumentos tarifários já autorizados pela ANEEL (Agencia Nacional de Energia Elétrica) refletem os erros cometidos na condução da política energética. Os consumidores atendidos pela AES Sul, do Rio Grande do Sul, tiveram um aumento médio de 29,54%. Os consumidores da CEMIG, em Minas Gerais, foram surpreendidos em abril com um aumento de 14,82% e, em São Paulo, o aumento médio nas tarifas da CPFL Paulista foi de 17,23%. Para quatro distribuidoras no Nordeste os aumentos médios autorizados foram: 16,77% no Ceará; 11,85% em Sergipe; 14,82% na Bahia; e 12,75% no Rio Grande do Norte.
Em Pernambuco, o pleito da CELPE junto a ANEEL foi de um aumento médio de 18,13%. A justificativa para este aumento exorbitante, frente a uma inflação de 5,68% no período, foi o mesmo usado por todas as distribuidoras: “pagaram mais caro pela energia comprada”.
Todos os pedidos de aumento seguem rigorosamente os contratos, que atendem unicamente aos interesses das empresas, e deixam de lado os interesses do consumidor.
No caso da CELPE, o aumento premia uma empresa cujo nível de qualidade e continuidade dos serviços tem despencado no IASC (Índice Anual de Satisfação do Consumidor,ranking divulgado anualmente pela própria ANEEL). Em 2011, a companhia estava em 4º lugar, e em 2013 caiu para o 24º, em uma lista com 35 concessionárias.
Também deve ser levado em conta às multas irrisórias recebidas pelo excesso de interrupções e por mortes por choques elétricos – que chegam a 37 óbitos, desde 2012 (Bahia e Pernambuco são os Estados com maior numero de mortes, vindo o Ceará, em 3º lugar).

Nada disso abalou o lucro líquido da CELPE que, em quatro anos (de 2010 a 2013) somou cerca de R$ 850 milhões. A Celpe foi ainda recompensada com um aumento na tarifa muito superior à inflação, e fica bem fora dos padrões da realidade econômica de seus usuários (mais de 80% são consumidores domiciliares).

Ao consumidor restam duas saídas. Reclamar ao Bispo de Itu ou, como cidadão consciente, se insurgir contra mais este descalabro que avilta seus interesses (tudo “legal” e com a conivência dos últimos governos).

Basta! Revisão dos contratos já.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Ouça o programa de Henrique desta segunda-feira

CLIQUE AQUI para ouvir.

Nova Acrópole promove palestra sobre simbolismo da páscoa

PROGRAMAÇÃO NOVA ACRÓPOLE NOVA PARNAMIRIM
Palestra: Simbolismo da Páscoa
21/04, segunda-feira às 20h
ENTRADA FRANCA!
 
Palestra: Como Administrar o Tempo
28/04, segunda-feira às 20h
ENTRADA FRANCA!
 
Palestra: O Mito de Teseu e o Minotauro
05/05, segunda-feira às 20h
ENTRADA FRANCA!
 
Palestra: O que é Vida interior?
12/05, segunda-feira às 20h
ENTRADA FRANCA!
 
Curso de Filosofia Prática - Nova Turma
19/05, segunda-feira às 20h
VAGAS LIMITADAS!
 
Nova Acrópole Nova Parnamirim
(84) 8825-9451 | (84) 9678-2999
Rua Barreira Roxa, 13 – Nova Parnamirim (rua da Schneider)
Nova Acrópole é uma organização sem fins lucrativos presente em mais de 50 países há 56 anos, e tem por objetivo desenvolver em cada ser humano aquilo que tem de melhor, por meio da Filosofia, da Cultura e do Voluntariado. Com seu Curso de Filosofia Prática adaptado para mais de 30 línguas e sem qualquer distinção de idade, condição social, posição política ou religiosa, tem beneficiado milhares de pessoas em todo o mundo que buscam conhecer-se, desenvolver-se e contribuir com a criação de um mundo melhor. Conheça mais em nossa página , ou visitando uma de nossas sedes .

domingo, 20 de abril de 2014

Artigo de Paulo Afonso Linhares

CPI BOMBRIL 
Paulo Afonso Linhares 
Nos países de clima frio, quando as nevascas cobrem de branco campos e cidades, os moleques costumam fazer grandes batalhas com bolas de neve. Cá nestes sertões nossos fazíamos a mesma brincadeira, com as variações e adaptações devidas: na época das chuvas, quando havia, a meninada, depois de construir pequenos açudes nas enxurradas, montava também pequenos exércitos que se enfrentavam em renhidas batalhas de bolinhas de lama; eram tantos meninos enlameados, “vítimas” dessa autêntica e inocente “guerra suja”, que até dava gastura de ver. Bons tempos aqueles! Lama sim, mas, inocente e por que não dizer “pedagógica”, já que essas pugnas lúdicas até ensinavam, posto que inconscientemente, os sentidos das táticas e estratégias dos combates, dos enfrentamentos bélicos e políticos que pontilham a História da humanidade, desde os tempos imemoriais.
As guerras de lama hoje são outras: elas envolvem lideranças políticas, empresários, gestores públicos de vários calibres, tudo formatado por uma imprensa interesseira, aética e vinculada a grandes interesses econômicos. De fora, atônito e mal informado, o cidadão comum finda como joguete nas mãos inescrupulosas daqueles que tentam conquistar o seu voto, tanto para manter o poder quanto mesmo para adquiri-lo, sem medir limites e consequências num vale-tudo que torna a participação política tão imprescindível à construção de espaços públicos imantados pelas ideias republicanas, democráticas e que sobrelevam a cidadania, como algo no mínimo enfadonho, para não dizer, também, repudiável e suspeito.
As táticas dos grupos que controlam a cena política nacional, no governo ou na oposição, são bem singelas e por demais previsíveis: nesses primeiros movimentos das peças no tabuleiro político pré-eleitoral, fazem uma vigorosa guerra de lama e não é como aquela dos meninos interioranos de antanho, de inocentes bolinhas de lama; o lamaçal é bem mais denso e profundamente fétido, porquanto tem como matéria-prima as acusações de corrupção e outras práticas delitivas detrimentosas ao patrimônio público e ao bem-estar coletivo. O rio lamacento de acusações e ofensas mútuas, com direito a horas e horas de bate-bocas nas mais variadas mídias, sem falar nas sessões de ambas as casas do Congresso Nacional e de outros parlamentos estaduais e municipais, terminará desaguado na formação de mais uma comissão parlamentar de inquérito, as famosas CPIs, destinadas a fazer muito barulho por nada.
Neste período que antecede às convenções partidárias para escolha dos candidatos às eleições deste ano de 2014, sobretudo, aqueles que disputarão a presidência da República, os lamaçais de cada lado dos principais polos da arenga – o “povo” do PT e seus aliados, de um lado, e os caciques tucanos e respectivos aliados, do outro, agora, porém, com uma “terceira perna”, que é PSB de Eduardo Campos/Marina Silva – já estão à mostra. A oposição quer implodir ou explodir a candidatura de Dilma Rousseff com essa pandenga da compra da refinaria de petróleo de Pasadena (Califórnia, EUA) e tenta montar uma CPI para apurar como a estatal petrolífera teria arrumado tamanho mico; em contrapartida, os governistas desejam apurar, na mesma CPI, as relações perigosas dos tucanos paulistas nas compras de bens (trens, mais precisamente) e serviços para o Metrô de São Paulo, nos governos de Covas, Serra e Alckmin, além de supostos deslizes do “povo” do PSB de Eduardo Campos nas obras do Porto de Suape, em Pernambuco. Em decisão inicial do presidente do Senado Federal, depois de ouvida a Comissão de Constituição e Justiça da Casa, saiu uma CPI mista para apurar os lamaçais de ambos os lados, governista e oposicionista, como fica difícil até colocar um novo, à míngua de maiores opções humildemente propomos “CPI Bombril”. A referência à marca famosa de palha de aço é apenas para enfatizar esses casos de marcas de sucesso cujos nomes comerciais se transformaram em sinônimo de gênero de produtos. Além do bombril (palha de aço que teria “mil e uma utilidades”, segundo slogan massificado pelas mídias por décadas), isso também vale para chiclete (goma de mascar), gilete (lâmina de barbear), cândida (água sanitária), durex (fita adesiva), band-aid (curativo) e outros.

Explicada a escolha do nome, certo é que a CPI Bombril terá seu destino decido pelo Supremo Tribunal, pois governistas e oposicionistas propuseram ações para resolver o impasse político: respectivamente, CPI de múltiplos temas ou CPI exclusiva para a Petrobrás? As lideranças políticas de ambos os lados querem que o STF decida como será fabricada a lama que jogarão uns nos outros, movidos que estão apenas por espírito meramente eleitoreiro e que, ao fim e ao cabo, nada esclarecerá e ninguém será punido. Enfim, “judicializam” uma questão que é meramente política e que no âmbito do Congresso Nacional deveria ser decidida. Pobre povo destes trópicos sombrios.

sábado, 19 de abril de 2014

Imprensa diverge quanto à idade de Luciano do Valle

Claro: Esse é um detalhe sem maior importância, diante do principal que é a grande perda do jornalismo brasileiro neste sábado: a morte de Luciano do Vale.
Mas, não deixa de chamar a atenção o fato da imprensa está se referindo à sua idade com números diferentes.
No site de O Globo, por exemplo, numa notícia o famoso narrador esportivo é citado na matéria principal como tendo falecido aos 66 anos de idade. Já na coluna de Patrícia Kogut, como dá para ver aí na foto, inclusive no titulo de matéria, Luciano aparece com 70 anos de idade.
Fica a dúvida: Qual das duas informações é a correta?

Jornalismo esportivo perde Luciano do Valle

Morreu na tarde deste sábado, em Uberlândia, o narrador esportivo Luciano do Valle, da Rede Bandeirante.
Ele viajara para a cidade mineira a fim de fazer a narração do jogo de amanhã entre Atlético MG e Corinthians.
Luciano do Valle estava com 66 anos.
CLIQUE AQUI para ler reportagem.

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Artigo de Flávio Resende

A DOR E A DELÍCIA DE
SER ESCRITOR

Por Flávio Rezende*

        O ser humano tem tendência ao 0800 negativo, reclamando de certas coisas e deixando de aproveitar muitas e muitas possibilidades que o planeta oferta para alegria individual e coletiva.
        Além da família, caridade, caminhar, amar, mar, viajar, ler, futebol, cinema e pizza, adoro de paixão escrever e, quando passo um tempo sem poder exercitar esta atividade, fico como se algo estivesse faltando em meu ser.
        Este prazer ocorre quando estamos produzindo algum “escrito”, como o que ocorre neste exato momento e, depois, quando compartilhamos o texto com o possível público leitor, seja através do envio por e-mails, pelo Facebook ou via publicação em jornais e sites diversos.
        O prazer neste momento ocorre principalmente quando o texto produzido, encontra do lado de lá, ai onde você se encontra, uma serventia, produz uma satisfação ou provoca uma positiva reação, ao ponto, muitas vezes, do leitor interagir com o escritor, respondendo, questionando, elogiando e até discordando, claro.
        Ao longo de minha trajetória de escritor, principalmente no que diz respeito aos artigos, vou percebendo as reações e tirando algumas bobas e óbvias conclusões, que revelam a vida como ela é.
        Quando escrevo sobre meu deslumbramento com a natureza, das caminhadas, da fusão entre meu eu interior e o universo, do amor pela família, pelos filhos e por servir a sociedade através da Casa do Bem, surgem muitos e-mails maravilhosos, de leitores muito felizes por estar compartilhando sentimentos tão queridos. Este momento é o de êxtase do escritor, a delícia sem igual.
        Já os textos mais políticos ou com algum teor espiritualista, ao mesmo tempo que geram posições assemelhadas dos que me leem, proporcionam também uma certa ira dos que pensam diferente, com pedidos para que não envie mais os “escritos” e, alguns, muito brabos, discordando e escrevendo coisas impublicáveis.
        A dedução que faço é simples: muitas pessoas não gostam de confrontar suas posições. Não querem de maneira nenhuma observar, analisar e nem ouvir falar de algo diferente daquilo que acreditam. Neste momento, o escritor sente dor, posto que não escreve para ofender e sente a intolerância se apossando de alguns, cegando e eliminando a possibilidade do contraditório produzir reflexão ou, no mínimo, informação a mais.
        No meu último escrito uma senhora, diante da proposta que fiz de pôr fim aos partidos políticos em decorrência do comportamento errático dos mesmos hoje no Brasil, mandou um e-mail pedindo apartheid de minha produção e, dizendo, sem meias palavras, que tinha ódio do meu ser.     
        E assim vou, entre dores e delícias, fazendo o que gosto muito, escrever, que dividindo espaço com o amor por tudo e por todos, a prática da caridade e o usufruto das maravilhas que o planeta azul me oferta, somam o sentido de minha atual encarnação e nesta missão que está em curso, espero estar fazendo algo de útil para alguns e produzido de sentido, para outros.
       

É escritor, jornalista e ativista social em Natal/RN (escritorflaviorezende@gmail.com)

Fábio Faria faz balanço positivo da semana como presidente da Câmara

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Prefeitura e UFRN prometem plantar 20 mil árvores em Natal

A assinatura do acordo de cooperação entre a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e a Prefeitura do Natal (PMN), firmado no início da noite de terça-feira, 15, pela reitora Ângela Paiva Cruz e prefeito Carlos Eduardo Alves, vai dar frutos dentro de alguns anos.

Quando as 20 mil mudas estiverem crescidas deverão criar “uma grande onda ambiental em Natal” e a imagem, o clima, o meio ambiente e a qualidade de vida das pessoas vão mudar.

Pelo menos é o que prevê o professor Robério Paulino, que juntamente com a professora Rosângela Gondim criou esse projeto para arborizar a cidade nos moldes de grandes metrópoles, como São Paulo e Nova York, e facilitar o trânsito das pessoas pelas ruas.

“Queremos uma Natal com bosques e não com praças transformadas em lixões, como as que temos em vários espaços públicos dessa cidade”, disse Paulino. O argumento do professor Robério sintetiza outro objetivo do “Plante enquanto é tempo”.

Ação saudável
O salão dos grandes atos do Palácio Felipe Camarão ficou pequeno para a quantidade de autoridades, gestores públicos, professores e estudantes universitários e militantes das causas ambientais.

Ao parabenizar a iniciativa dos professores Robério Paulino e Rosângela Gomes, autores do projeto, a reitora declarou que encerrava o dia com uma das ações mais saudáveis para as pessoas, para a cidade e para o planeta.

A reitora Ângela Paiva Cruz se referia ao ato solene que celebrou com a gestão municipal de Natal para fazer “o plantio do futuro dessa cidade”, conforme considerou o prefeito.

“Mudaremos o cenário dessa cidade para melhor, senhor prefeito, porque essa é uma ação prática do nosso plano de gestão, que se insere no Programa Estruturante Meio Ambiente, que vai reverter a qualidade de vida da nossa população”, acrescentou Ângela Paiva.

Trata-se de uma conquista importante para Natal e para a UFRN, disse ainda a reitora, porque por meio desse projeto vamos semear vidas. É o tipo de política pública que assegura desenvolvimento com saúde e qualidade de vida”, afirmou.

Segundo o prefeito Carlos Eduardo, “o dia de hoje resgata a história da cidade planejada que já foi um pomar cortado por um rio, mas que sofre, atualmente, com o desenvolvimento urbano acelerado. Resgata porque aqui, na prefeitura, se encontra a sensibilidade para defender o patrimônio ambiental, o crescimento sustentável do povo natalense”.

Ao encerrar o ato, o prefeito declarou: “Fico feliz de estar ao lado da UFRN, mais uma vez, porque é uma das instituições que fazem parte do futuro do Rio Grande do Norte. Portanto, cara reitora, essa aliança firmada com a UFRN é benéfica para a Natal”.

O projeto
O projeto será desenvolvido conjuntamente pela UFRN e Prefeitura Municipal do Natal (PMN). Junto com os dois professores, 16 universitários bolsistas estão na empreitada urbanística, para transformar a cidade em um “grande pomar”, como foi nos tempos da juventude de Câmara Cascudo, conforme lembrou o prefeito Carlos Eduardo.

O Horto da Universidade já produziu 20 mil mudas que aguardam apenas o planejamento para serem plantadas da cidade e darem uma nova roupagem aos espaços públicos vazios da capital potiguar. A parceria com a prefeitura, segundo Ângela Paiva, simboliza a disposição da UFRN socializar conhecimento para além dos seus muros.

Texto distribuído pela AGECOM da UFRN.

Aposta mínima na Mega-Sena sobe para R$ 2,50

O novo preço entra em vigor dia 11 de maio.
Uma aposta mínima da Mega, com seis dezenas, sobre de R$ 2,00 para R$ 2,50.
Na Lotofácil, cuja aposta mínima - com 15 dezenas - hoje custa R$ 1,25 passará para R$ 1,50, a partir do dia 10 de maio.
Na Quina, a partir de 10 de maio, a aposta mínima - com 5 dezenas, que custa hoje R$ 0,75, passará para R$ 1,00.

Governador do Ceará anuncia que está internado, mas não diz aonde

Em sua página no Facebook, o governador do Ceará, Cid Gomes, anunciou que está licenciado do cargo e que se encontra internado no Brasil. Mas, não esclarece onde está.
Veja abaixo o que ele posto no Face:

Quem está respondendo pelo governo do Ceará é o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Gerardo Brígido.
A notícia completa pode ser lida no portal do Diário do Nordeste. Para acessá-la, CLIQUE AQUI.

Ouça o programa de Henrique desta quinta-feira

CLIQUE AQUI para ouvir o programa de Henrique desta quinta-feira.

Inflação deu novo pulo em abril e chegou a 0,78%

O Banco Central vem aumentando a taxa de juros há um ano e nem assim consegue segurar a inflação no Brasil.
Em abril, o índice oficial chegou a 078% (contra 0,73% em março). Foi o maior índice desde janeiro do ano passado.
No ano passado, em abril, a inflação havia sido de 0,53%. Bem abaixo da taxa a que havia chegado em janeiro: 0,88%.
CLIQUE AQUI e leia reportagem em O Globo.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Fábio Faria preside reunião do Colégio de Líderes

Presidente interino da Câmara dos Deputados, Fábio Faria (PSD/RN) reuniu líderes de todas as bancadas para definição da pauta de votações desta semana.
Entre os projetos defendidos pelo parlamentar potiguar que fica na Presidência da Casa até o próximo dia 21, estão a regulamentação profissional do agente de turismo, criminalização dos motoristas que provocam acidentes por participarem do chamado “racha”, regulação da implantação de novos postos de combustível.
O Plenário da Câmara tem sessões deliberativas na tarde desta terça e na manhã da quarta-feira (16), presididas por Fábio Faria. Hoje à noite, ainda haverá Sessão Conjunta do Congresso Nacional.
Texto e foto encaminhados pela Assessoria de Imprensa do deputado Fábio Faria.


Henrique expõe na China potencialidades do RN

O deputado Henrique Eduardo Alves apresentou as potencialidades econômicas do Rio Grande do Norte ao presidente do Comitê Permanente da Assembleia Popular Nacional (APN) da China, Zhang Dejiang, e ao secretário do Partido Comunista da China em Beijing, Guo Jinlong. Ele mostrou dados sobre produção econômica, logística e turismo. O parlamentar está na China em visita oficial desde domingo.
Nos encontros com os dois dirigentes chineses, ele lembrou que o estado é líder no Brasil em projetos na área de energia eólica, tem uma importante produção mineral e está consolidando a exploração de petróleo, inclusive com a prospecção em águas profundas. Henrique Alves também apresentou dados sobre a produção de frutas e atividade turística.
Na área de logística, o deputado explicou que a inauguração em maio do aeroporto internacional Aluizio Alves, em São Gonçalo do Amarante, na área metropolitana de Natal, vai tornar o Rio Grande do Norte uma porta importante de entrada no continente sul-americano, já que é um dos pontos mais próximos da Europa no território brasileiro.  Henrique Alves disse que o novo terminal vai ampliar a capacidade de carga e passageiros e deverá se tornar um dos principais hubs do País.
O presidente da Assembleia Popular Nacional da China e o secretário do Partido Comunista da China em Beijing ficaram surpresos com os dados apresentados por Henrique Alves e se comprometeram a montar missões políticas e empresariais para visitar o estado.
Banco de Desenvolvimento
Nesta quarta-feira (16), o presidente Henrique Eduardo Alves volta a apresentar dados sobre as potencialidades do Rio Grande do Norte a executivos do Banco de Desenvolvimento da China. A instituição desempenha na China missão análoga a desenvolvida no Brasil pelo BNDEs.

Ouça o programa de Henrique desta terça-feira

Para ouvir, CLIQUE AQUI.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Prefeito de Jardim do Seridó denunciado por crime ambiental

O Ministério Público Federal (MPF), por meio da Procuradoria Regional da República da 5.ª Região, denunciou Jocimar Dantas de Araújo, prefeito do município de Jardim do Seridó, no Rio Grande do Norte, por crime ambiental. Ele é acusado de manter em funcionamento um matadouro público em condições irregulares, em área de preservação ambiental.

Em agosto de 2009, a Prefeitura de Jardim do Seridó foi autuada pelo Ibama e, no mês seguinte, firmou um termo de ajustamento de conduta com o MPF – assinado por Jocimar Dantas. No documento, o município comprometeu-se a adotar algumas providências, como a lavagem dos animais antes do abate, a eliminação de focos de urubus e a implantação de pré-tratamento dos efluentes líquidos. Entretanto, três anos após o acordo, o matadouro continuava a funcionar em condições potencialmente poluidoras e em total desacordo com as normas ambientais.

A cada semana, cerca de duzentos bovinos e cem animais de menor porte (caprinos, suínos e ovinos) são abatidos no local. O sangue é encaminhado a um tanque situado atrás da sala de abate, na parte externa do matadouro; depois, é levado por um trator da prefeitura e despejado, sem tratamento, no Rio Seridó.

De acordo com uma vistoria feita pelo Ibama, os animais são banhados somente após a morte; as peças de carne são separadas e salgadas em ambiente bastante deteriorado; em todos os recintos, há animais domésticos, sobretudo gatos, transitando e se alimentando do material abandonado pelo chão. O sistema de tratamento de efluentes não possui grades para retenção de sólidos; as caixas destinadas ao armazenamento dos dejetos encontravam-se descobertas e com grande concentração de moscas, que se espalham por todo o abatedouro em grande quantidade.

A denúncia foi oferecida pelo procurador regional da República Fernando Ferreira ao Tribunal ao Tribunal Regional Federal da 5.ª Região (TRF5), e não à primeira instância da Justiça Federal no Rio Grande do Norte, porque prefeitos têm privilégio de foro em ações criminais. O acusado deverá ser notificado para apresentar defesa preliminar e, posteriormente, o Pleno do Tribunal avaliará a denúncia, que, se for recebida, será transformada em ação criminal em que Jocimar Dantas será réu. Para o MPF, o prefeito cometeu o crime previsto no artigo 60 da Lei de Crimes Ambientais (Lei nº 9.605/98), que prevê pena de detenção, de um a seis meses, e/ou multa.
Texto encaminhado pela Assessoria de Comunicação Social da Procuradoria Regional da República da 5.ª Região.

Portal chileno escolhe o gol mais bonito das Copas

O portal emol, do Chile, selecionou 80 gols marcados em Copas do Mundo e está promovendo uma eleição entre os seus visitantes para escolher o mais bonito de todos.
Entre os gols brasileiro, tem um de Pelé na Copa do Chile, em 1962; um de Rivelino, na Alemanha, em 1974; e outro do Dr. Sócrates, contra a Rússia, em 1982. 
Segundo o portal, os gols de Pelé e de Rivelino estão entre os mais vistos da promoção, ao lado de um  de Batistuta, da Argentina, na Copa de 1994.
Para acessar, CLIQUE AQUI.

Luto em São Gonçalo pela morte de Leônidas de Paula

Faleceu aos 70 anos de idade o empresário Leônidas Ferreira de Paula, filho do saudoso Nilton Pessoa de Paula, fundador da Comunidade Califórnia, Zona Rural de São Gonçalo do Amarante. Leônidas é integrante de uma família que se instalou no município no final da década de 40 e tinha uma sensibilidade social, abrigando famílias inteiras na Fazenda Califórnia.

O prefeito Jaime Calado, em forma do reconhecimento pelo bem público prestado pela família e como homenagem ao amigo Leônidas de Paula, decretou luto oficial de três dias, a partir desta segunda-feira (14).  “Leônidas foi um homem com grande atuação e grande contribuição, não só pra São Gonçalo, mas para o Rio Grande do Norte. É uma perda lamentável por que além de amigo era um homem experiente e com visão de futuro”, lamentou Jaime.

Atualmente, Leônidas Ferreira de Paula, ocupava o cargo de diretor emérito da Federação das Indústrias do RN (FIERN), mas chegou a ocupar o cargo de vice-presidente da instituição, foi secretário de Agricultura do Estado, presidiu entidades como o Sebrae/RN e a Associação Norteriograndense dos Criadores (ANORC), e também alcançou a vice-presidência  da Confederação Nacional da Agricultura (CNA). No início do segundo mandado do prefeito Jaime Calado foi gestor da Agricultura do município, sendo substituído pelo filho Leonardo Medeiros de Paula.

A família informou que o velório acontecerá a partir das 16h deste domingo (13), no Cemitério Morada da Paz (Emaús). Na manhã da segunda-feira (14), ás 9h, será celebrada uma missa no local e em seguida, às 10h, ocorrerá o sepultamento.
Nota distribuída pela Secretaria Municipal de Comunicação.

China oferece ao Brasil sua experiência na organização da Olimpíada

O secretário do Partido Comunista Chinês, Guo Jinlong, reuniu-se nesta segunda-feira com a comissão parlamentar Brasileira comandada pelo presidente da Câmara dos Deputados Henrique Eduardo Alves, em Beijing.
Na ocasião, afirmou que a experiência chinesa na organização dos Jogos Olímpicos de 2008 poderá ajudar o Brasil na organização da Olimpíada de 2016, no Rio de Janeiro.
No momento, a China está trabalhando sua candidatura para sediar os jogos Olímpicos de Inverno em 2022.
Além de Henrique, participam da comitiva brasileira os deputados Marco Maia (PT-RS), Arlindo Chinaglia (PT-SP), Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Antônio Imbassahi (PSDB-BA), Felipe Maia (DEM-RN) e Osmar Júnior (PC do B-PI). 
CLIQUE AQUI para ler reportagem completa.

Ouça o programa de Henrique desta segunda-feira

Para ouvir, CLIQUE AQUI.

domingo, 13 de abril de 2014

INSS abre agência em São Gonçalo

O ministro da Previdência, Garibaldi Alves Filho, presidirá nesta segunda-feira, dia 14, a solenidade de inauguração da agência do INSS em São Gonçalo.
Será 13ª nova agência do INSS no Rio Grande do Norte, desde 2011.
As outras 12 foram em: Touros, Baraúna, Nova Cruz, Extremoz, Monte Alegre, Canguaretama, Caraúbas, Macaíba, Jucurutu, Parelhas, São José de Mipibu e São Miguel.
Além dessas, o INSS abriu novas sedes em substituição às antigas em Mossoró, Angicos, Apodi, Patu e Alexandria.
CLIQUE AQUI para ler reportagem no site da Tribuna.

Wilma marca presença na abertura do INSS em São Miguel

Sinal de que o Rio Grande do Norte vive novos tempos na política inter-partidária: A vice-prefeita de Natal, Wilma de Fria, foi prestigia o ministro Garibaldi Filho (PMDB) na inauguração da agência do INSS em São Miguel.
Foi ontem.

"Quem sou eu diante de Jesus?", sugere o Papa que nos perguntemos

Na abertura da Semana Santa, neste Domingo de Ramos, o Papa Francisco desprezou o texto escrito de sua homilia e preferiu fazer uma reflexão supostamente improvisada.
- Quem sou eu diante de Jesus? Sou como Judas?
A reportagem completa pode ser lida AQUI, no site do Vaticano.

Artigo de Paulo Afonso Linhares

O OLHAR AUTORITÁRIO

PAULO AFONSO LINHARES

Ainda insistindo na temática do autoritarismo entranhado na cultura política brasileira, neste momento em que o golpe militar de 1964 completa cinquenta anos, no primeiro de abril deste 2014, achei útil resgatar uma reflexão que fiz e publiquei, há mais de uma década, por sua atualidade.
Vejamos:
 Poucos povos tiveram o despropósito de constituir uma elite tão cruel, iníqua, atrasada, mesquinha e autoritária, quanto o povo brasileiro, nos últimos quinhentos anos de história da colonização européia. Isto sem mencionar que essa mesma elite já pontificava no velho reino de Portugal, mandando e desmandando, sobretudo, desde o século X de nossa era. Ela que não teve o mínimo escrúpulo de promover a escravidão das populações que aqui encontraram, nem tampouco de pessoas – populações inteiras – sequestradas de seus lares na longínqua África e trazidas nos infames navios negreiros para este novo mundo.
A herança ficou, perpassados os séculos. E a elite conservadora brasileira, para usar o modelo freyreano, jamais deixou de olhar o mundo senão a partir da “Casa-Grande”, visão que se projeta  para toda sociedade brasileira sob a forma de um enorme ranço autoritário que permeia as relações sociais. Aqui, as pessoas de todas as classes sociais acham normais as mais variadas manifestações da cultura do autoritarismo, seja no trabalho, na escola, no lar, nas ruas, nas igrejas e, sobretudo, no plano das relações políticos institucionais, inclusive naquelas de caráter bem sensível que contrapõem o Estado e o cidadão, quando este sempre perde, sempre paga a conta, sempre é submetido a toda sorte de humilhação e vilipêndios à sua dignidade, que redundam numa quase anulação de seu status de cidadania.
Na época da ditadura militar os generais costumavam falar que respeitariam o resultado das urnas, que cumpririam a Constituição etc., como se isso não fosse o seu dever. E não apenas eles, mas muitos outros segmentos da sociedade brasileira incorporaram esse olhar autoritário, seja nas relações de trabalho, no lar ou na esfera política. Como se a alteridade em si fosse uma ofensa somente porque não é mero reflexo do eu; o outro é sempre visto como perspectiva de confronto, nunca como a possibilidade da convivência, da cooperação e da construção solidária de um novo porvir. Útil mesmo é pensar, sim, como o pensador Bernanos: “Les autres, hélas! c’est nous”. Os outros, ah! somos nós.
Tem-se no ambiente da política um terreno fertilíssimo para experimentos autoritários, sejam acidentais ou cunho permanente. Essa cultura autoritária medra com inusitado ímpeto na esfera dos partidos políticos, apesar da visão associativista que esses entes ganharam no texto constitucional (art. 17, caput), quando diz que  “é livre a criação, fusão, incorporação e extinção de partidos políticos (...)”. Assim, antes de ser considerado como o grande vetor das demandas políticas das sociedades contemporâneas, ao partido coube ser o biombo a ocultar as traquinagens  das elites brasileiras,  sempre e sempre, ademais da marca autoritária que preside as relações políticas que se travam no seu interior, agravada pela existência  do “caciquismo” de feição populista, ou pela apropriação das máquinas partidárias por oligarquias cuja dominação somente é possível pela força do clientelismo, pela distribuição de benesses às custas, em geral, do Erário Público. Em ambos o resultado é desastroso, porquanto somente serve para anular, diminuir e desmoralizar os partidos políticos e as instituições em geral.
   É possível um caminho inverso? Sim, os partido políticos, no Brasil, podem  (e devem) se construir como entes cujos controles se vinculem mais às decisões colegiadas da maioria do que à vontade (quase) soberana do chefete de plantão. Partidos não podem ter donos nem patrões. Com efeito, no Estado Democrático de Direito inaugurado pela Carta de 1988, não há mais lugar essas estruturas arcaicas de legitimação do poder que teimam na manutenção nostálgica desse modus autoritário de perceber a realidade e de nela intervir. Felizmente já passou esse tempo. 

sábado, 12 de abril de 2014

Candidato da presidenta Dilma lidera pesquisa em Pernambuco

Pesquisa disponibilizada no site do Jornal do Commércio neste sábado aponta o senador Armando Monteiro (PTB), apoiado pela presidenta Dilma, liderando a corrida sucessória estadual, em Pernambuco, com 39% das intenções de voto.
Segundo o jornal, a vantagem de Armando sobre o afilhado político do ex-governador Eduardo Campos, já era esperada, devido ao fato de ter se apresentado há mais tempo.
O candidato de Eduardo, Paulo Câmara, do PSB, está com 13% das intenções de voto. 
A Pesquisa foi feita pelo Instituto Maurício de Nassau e aponta a missionária e vereadora Michelle Collins em 3º lugar, com 3%.
Para ler a reportagem completa, CLIQUE AQUI.