sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Abertas inscrições para novo concurso do Banco do Brasil

Há vagas para os níveis médio e superior na área de segurança do trabalho, com salários variando de R$ 3.673 a 8.707,00.
O concurso visa cadastro de reserva para os seguintes pontos - auxiliar de enfermagem do trabalho, técnico de segurança do trabalho, enfermeiro do trabalho, engenheiro de segurança do trabalho e médico do trabalho.
Abertas nesta sexta-feira, as inscrições vão até o dia 20 de março.
CLIQUE AQUI e leia notícia em O GLOBO.

O Globo: Roberto ganhou R$ 25 milhões para fazer propaganda do Friboi

O jornal carioca informa ter se baseado em informação do cineasta Fernando Meirelles, que teria postado a informação em seu twitter, com base no que "se fala nas agências".
O Globo afirma ter procurado a assessoria do cantor, mas esta informou que ele não comentaria o assunto.
De acordo com a assessoria, Roberto Carlos está em Miami gravando novo CD em espanhol.
CLIQUE AQUI para acessar a reportagem.

Comissão da Câmara vai debater crise na Venezuela

Ouça o programa de Henrique desta 6ª feira

Para ouvir, CLIQUE AQUI.

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

CBF agradece apoio de Henrique ao futebol brasileiro

Igreja condena uso da força contra manifestantes na Venezuela

Em nota emitida nesta terça-feira, a presidência da Conferência Episcopal Venezuela condena o uso da força contra manifestantes.
Diz a nota:

- No cumprimento de sua função de preservar a ordem pública, as autoridades policiais e militares estão obrigadas a respeitar os direitos humanos, especialmente o direito à vida.
E acrescenta:
- Rechaçamos rotundamente o emprego da força exercida em algumas manifestações por parte de órgãos da segurança do Estado, produzindo consequências lamentáveis e irreparáveis.
- Do mesmo modo - prossegue - comprovamos a indefensibilidade da cidadania diante do surgimento de milícias armadas - nem policiais nem militares - atuando contra a população.
- Grupos dessa natureza estão à margem da lei, não possuem autoridade alguma e atentam contra as bases da convivência.
A ´´integra da nota em espanhol está no site do El Nacional.

Água do Gargalheiras é "uma lama da cor de barro", diz jornalista

A propósito da matéria aqui publicada sob o título "Situação hídrica do Seridó é a prior dos últimos 30 anos, diz técnico do Dnocs", recebi do amigo e colega Alderico Leandro o seguinte comentário":

Aquela materia que voce publicou sobre os açudes, o DNOCS nao falou no Gargalheiras de Acari. Está seco como os de Caico, Parelhas, Currais Novos e outros. A chuva caída no final de semana na regiao nao encheu coisa alguma. O Gargalheiras está com uma lama da cor de barro. Eu vi de perto. Agora, para as moradias, o consumo é comprar água de Natal. Os caminhoes levam e vendem. Dizem que o Gargalheiras foi um sonho concretizado. Ele começou em 1909 e terminou em 1959. Esse ano nao chove. Talvez em 2015 ou 2016. Para o Gargalheiras e o Itans tomarem água vai ser preciso chuva durante dois ou tres meses. Agora, 80 caminhoes secam ainda mais o Cargalheiras retirando agua para abastecer cada vez mais os reservatorios de agricultores.  Em 2 horas de viagem eu vi passar por mim 15 ou mais carros pipa levando água para os donos de cisternas do interior - menos os de Currais Novos - Os açudes de Currais Novos estão secos. Agora é benção e paz.

Misses clamam pela paz na Venezuela

Ouça o programa de Henrique desta terça-feira

Para ouvir, CLIQUE AQUI.

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Situação hídrica do Seridó é a pior dos últimos 30 anos, diz técnico do Dnocs

A situação dos reservatórios da Região do Seridó está cada vez mais crítica. A reserva hídrica atingiu nos dois primeiros meses deste ano 7,88%, segundo informações coletadas no dia 07/02. 
Os dados foram repassados pela unidade local do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas, em Caicó, que monitora nove açudes da região.

Somando-se todas as capacidades dos açudes, o volume total na soleira do sangradouro caiu para 19 milhões, 697 mil, 617 metros cúbicos. A população estimada que é coberta por essa reserva é 163 mil pessoas.

“Tenho 30 anos de serviço prestado no Dnocs e nunca tinha visto uma situação igual a essa. É muito preocupante. Temos que preservar toda essa água que nós temos e a população deve permanecer consciente para a economia desse bem tão precioso e escasso na nossa região”, alertou Cícero Ferreira, técnico do Dnocs.

Os casos mais complicados são: Caldeirão (Parelhas) – 309.648m³ - 3,32%, Cruzeta – 180.611m³ - 0,77%, Mundo Novo (Caicó) – 66.718m³ - 1,85%, Zangarelhas (Jardim do Seridó) – 239.050m³ – 3,02% e Dourado (Currais Novos) – 28.936m³ - 0,28%. Estes já atingiram o volume morto e nos próximos meses, caso não haja alteração positiva, devem secar.

“A situação que era difícil pode ficar alarmante, caso não caia chuva. Nós temos os casos de Santana do Seridó, abastecida pelo açude Caldeirão, Cruzeta, pelo reservatório municipal e Jardim do Seridó, pelo Zangarelhas, que daqui a dois meses, caso não chova, vai secar. Esses mananciais já estão no volume morto e a única saída para o abastecimento nesses locais é o açude Itans, em Caicó”, disse Ferreira.

Em Caicó, a população voltou a se animar com as chuvas caídas no final da primeira quinzena de fevereiro.  Entre os dias 14, 15 e 16/02 o Itans recebeu cerca de 5cm de água, o equivalente a 125 mil metros cúbicos a mais no volume atual, o que garante um acréscimo de mais quatro dias no abastecimento da cidade.

De acordo com o técnico, “pela altura de lâmina de água que temos em relação a comporta, o Itans tem água para mais cinco ou seis meses acima do volume morto. Além disso, ainda tem mais quatro milhõe
s de metros cúbicos, que não é uma água de qualidade. Mas caso, carros-pipa retirem água para essas cidades que estão secando, a tendência é que esse tempo de duração do Itans caia para três meses”, completou. 
Texto e ilustrações encaminhados pela Comunicação Fator 4.

Enviada da CNN passa constrangimento na Venezuela

Ao tentar deixar a Venezuela, depois que o governo de Nicolás Maduro determinou o fim dos seus trabalhos na cobertura da crise que assola o país, a enviada especial da CNN, Patricia Janiot, passou por constrangimento no aeroporto.
Ela e sua produtora foram retidas sob a "suspeita" de que conduziam drogas. Momentos depois foram liberadas para seguir viagem.
Hoje, numa entrevista coletiva, o presidente Nicolás Maduro anunciou que havia restabelecido a autorização para que repórteres da TV estadunidense possam voltar a trabalhar na Venezuela.
Acrescentou, entretanto, que terão de seguir as leis venezuelanas. Segundo citação no site argentino Clarin, acrescentou:
- Critiquem o que tiverem de criticar, mas, não tentem, com sua informação, levar o país a um clima de violência, onde nos matemos uns aos outros.

Jovem venezuelana faz emocionado discurso diante de policiais

Artigo de Paulo Afonso Linhares

A (NOVA) TÉCNICA DO GOLPE DE ESTADO

Paulo Afonso Linhares

Uma leitura de há muito e que me causou forte impacto foi um livro que veio a lume em 1931, intitulado "Tecnica del colpo di Stato" ("Técnica do golpe de Estado"), do jornalista e escritor italiano Curzio Malaparte (então diretor do jornal La Stampa, de Turim), em cujo texto explica as diferentes modalidades de golpe de Estado, seja de esquerda ou de direita, de Lenin a Mussolini, ademais de antecipar aquele que Hitler utilizaria para empalmar o poder na Alemanha. Nem precisa dizer que em pouco tempo Malaparte, aliás, um gênio literário de muitas aptidões, teve seu livro proibido em muitos países, inclusive na Itália e Alemanha, pátrias de seus pais (era filho de pai alemão e mãe italiana, nascido que foi em 09/06/1898).
Curzio Malaparte, cujo nome verdadeiro era Kurt Erich Suckert, ao perfilar as várias técnicas de perpetrar um golpe de Estado, objetivou dotar governos e, sobretudo, cidadãos, de instrumentos de defesa contra golpes, adotando medidas necessárias e até antecipatórias para evitá-los. Com efeito, assevera Malaparte que "a arte de defender um Estado é governada pelos mesmos princípios que regem a arte para conquistá-lo" e com muita razão adverte que "a opinião pública nesses países, nos quais é liberal e democrática, comete erro quando não se preocupa com a possibilidade de um golpe de Estado." Doutro lado, ainda hoje se afigura inusitada - e não menos verdadeira -  a constatação de Malaparte de que "o problema da conquista e defesa do Estado moderno, não é uma questão política, mas técnica." Até Niccolò Machiavelli, o vetusto decano dos pensadores da política, ficaria atordoado.
Importante é entender o sentido da “técnica” aludida por Malatesta. Ora, atualmente a técnica não é mais concebida apenas como “um conjunto de procedimentos que seguiam algumas regras preestabelecidas para fazer algo em função de determinado fim”,  mas, como “uma forma de apropriação da natureza pelo homem, portanto, parte da cultura”, segundo analisa Renato Somberg Pfeifer (disponível: <http://bit.ly/1f2xVM5 > Acesso: 18 jan 2014). O pensamento contemporâneo projeta como certeza a indissociabilidade entre as esferas morais - que carregam um fim em si mesmas - e a dos instrumentos que, por definição, não têm finalidade própria. Aliás, a técnica, como a ciência, que não são jamais neutras e estão a serviço de determinadas estruturas sociais, permitem a dominação de uma pessoa sobre outra ou que uma sociedade suplante (e até aniquile) outra. No campo da política, esgotadas as decisões no terreno da institucionalidade democrático-republicana (o resultado de uma eleição, por exemplo),  muitas vezes as disputas são levadas para outros patamares, quando pessoas ou grupos – em ambos casos, sem esquecer a questão do partido político – ultrapassam os lindes da legalidade/legitimidade e utilizam certos recursos técnicos para resolver impasses político-institucionais que, inclusive, podem implicar rompimento da ordem jurídica, parcial ou totalmente. O golpe de Estado, nas suas múltiplas feições, é um destes.
Para usar o jargão da tecnologia informacional, o golpe de Estado seria uma espécie de "atalho" à exigência de legitimação do poder através de eleições diretas, com voto universal e secreto, tudo como manda o rito elementar dessa técnica - a democracia - que tem como azimute o princípio majoritário, ou seja, deve prevalecer a decisão fruto do consenso da maioria dos (cidadãos) eleitores, embora sem esmagar as posições minoritárias. Em suma, golpe de Estado é a ilegal derrubada de um governo legitimamente constituído, seja por métodos violentos, às vezes com uso extremo de força, seja pelo uso de instituições jurídico-políticas do próprio Estado para defenestrar governo legitimado por ato de soberania popular, neste caso é chamado de "golpe branco" porque se caracteriza pela manutenção de um verniz legal e de normalidade política. Na correta ótica de Malaparte (que significa "parte má", em italiano, para contrapor a Bonaparte - "boa parte - sobrenome de Napoleão), golpe de Estado é sempre a negação da democracia, embora a sua perfeição se dê naqueles casos em que os aplausos majoritários dos cidadãos que traduzam anseios por mudanças. Em resumo, o golpe de Estado é perfeito quando angaria apoio majoritário da opinião pública.
Ora, se focalizarmos aquele período imediatamente anterior ao golpe militar de 1964, no Brasil, é nítido o apoio que os golpistas tiveram de setores importantes da população, a tirar pela "Marcha da Família com Deus pela Liberdade", nome dado às diversas manifestações públicas organizadas, em algumas cidades importantes, por segmentos conservadores da sociedade brasileira contra o presidente João Goulart, algumas chegando a congregar cerca de meio milhão de pessoas. O resultado foi a quebra da ordem vigente, para iniciar um período de obscurantismo ditatorial que se prolongou por 21 anos, num inventário de cicatrizes que envolvem muitos mortos, desaparecidos e torturados.  
Nas diversas fases da história republicana, no Brasil, o golpe de Estado tem sido uma tentação presente em todos os corações e mentes daqueles que têm exercido ou que anseiam exercer o poder político. Aliás, nunca é demais lembrar a teoria formulada pelo general Golbery do Couto e Silva, um dos condestáveis do regime militar brasileiro instituído em 1964 e findo em 1985, para quem a democracia, nestes prados tupiniquins, viveria no movimento pendular e constante de "sístoles" e "diástoles", isto é, da alternância entre períodos democráticos e autoritários. Claro, o ritual de passagem da democracia para uma ditadura é sempre marcado por alguma das modalidades (ou técnicas) de golpe de Estado, umas pacíficas e outras violentas. É de uma destas que a presente reflexão se ocupa.
Bem mais insidiosa do que a técnica do golpe de Estado que se esteia no apoio popular - o golpe perfeito, segundo Malaparte, repita-se - talvez seja aquela que, de modo pacífico e quase imperceptível, lança mão de instrumentos legais para se sobrepor à soberania popular e destituir um governo (central, regional ou mesmo local) legitimamente constituído. Num país em que o Congresso Nacional é omisso ou abre mão expressamente de legislar sobre determinadas matérias, ademais da atuação de um Poder Judiciário cada vez mais ativista e invasor de competências, tem-se um bom caldo de cultura excelente para medrar a (nova) técnica do golpe de Estado pela via judicial. Em que ela consiste?
Antes de qualquer coisa, ressalte-se que Curzio Malaparte não conhecia ou ao menos não fala nessa possibilidade de golpe de Estado no seu livro. Sem embargo, ela se caracteriza por uma acendrada crença positivista na "infalibilidade" e "incolumidade" dos organismos judiciários nacionais como intérpretes e aplicadores do Direito. Algo assim como uma corporação de sacerdotes da deusa Têmis, cujos membros exercem poderes extraordinários de suprimir, instituir ou modificar direitos, de pessoas físicas ou de instituições, inclusive no que toca às diversas formas de liberdade, todavia, sem qualquer legitimação pelo voto de seus concidadãos.
Para combater os flagelos que desnaturam a democracia, como o paternalismo, o clientelismo, os abusos do poder econômico e político, a compra de votos, a nefasta ação dos demagogos e vendilhões da pátria, foram adotados marcos regulatórios de severidade draconiana que atribuem às instâncias da Justiça Eleitoral poderes para manter a integridade e a eficiência do sistema eleitoral prefigurado na Constituição, inclusive até com a cassação de mandatos eletivos, estes enquanto expressões maiores do exercício da soberania popular. Entretanto, essa competência se justificaria apenas em situações extremamente graves, jamais como prática rotineira. Lastimavelmente, é o inverso do que vem ocorrendo: arvorando-se de poderes que decerto não deveriam ter, juízes singulares e tribunais da Justiça Eleitoral têm destituído governos e banido da vida pública lideranças, por questões de somenos, bobagens e picuinhas, logo transformados em pecados capitais que recebem o nome pomposo de "condutas vedadas".
A partir daí se abrem amplas possibilidades de satisfação dos mais diversos interesses econômicos ou políticos, estranhos aos fins da Justiça Eleitoral, esta que foi uma das grandes conquistas da sociedade brasileira nos anos 30 do século XX e que acabou com muitos dos enormes vícios do sistema eleitoral da Velha República, sobretudo a malfadada "eleição a bico de pena" (nesse período era comum que os resultados fossem alterados para atender aos interesses de grupos políticos oligárquicos, com a alteração dos mapas eleitorais com uma espécie de caneta, o bico de pena) ou o "voto marmita" (o eleitor já levava em envelopes as cédulas eleitorais impressas por candidatos e partidos, que eram depositados nas urnas de pano e, na maioria dos casos, sequer suspeitava quais eram os candidatos em que estava a votar, pois recebia o envelope lacrado das mãos de algum chefete político...), isto para ficar apenas em dois exemplos.
Cada vez melhor aparelhada, inclusive contando com um dos melhores sistemas informacionais do mundo, em matéria de cadastro eleitoral e de processamento eletrônico eleições (e-Voting), a Justiça Eleitoral tem avançado, também, na tomada de contas de partidos e candidatos, com a obrigatoriedade do lançamento "on line" de receitas e despesas, tudo para combater os diversas graves vícios que ainda permeiam  os processos eleitorais, como os abusos de poder político e econômico, a compra de votos, a propaganda ilícita e outras condutas vedadas que influenciam os resultados das eleições  e desviam a livre manifestação do corpo eleitoral. No entanto, o objetivo da legislação eleitoral não é jamais transformar os juízos (singular ou colegiado) eleitorais em xerifes implacáveis desses processos, nem supremos substitutos da soberania popular de que fala o art. 14 da Constituição. Lamentavelmente, algumas formas exacerbadas de ativismo têm levado magistrados a prolatar decisões (em caráter "originário" ou "confirmatório") que extrapolam em muito àquilo que se entende no universo jurídico como "razoabilidade" na interpretação e aplicação do direito.
Claro que esses excessos nos julgamentos de processos, no campo do Direito Eleitoral, não seriam apenas meros desvios no plano da subjetividade dos julgadores, mas, resultantes de um conjunto complexo de motivações que vão desde as opções filosóficas, ideológicas, políticas ou psicológicas, até aquelas que revelam um conjunto de vícios funcionais, inclusive alguns casos aberrantes de corrupção traduzidos, para maior vergonha, na aberta venda de decisões judiciais e outras barganhas impublicáveis, algumas delas enquadráveis naquilo que declarou  o presidente do Conselho Nacional de Justiça e do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, “ad verecundiam” como diziam os antigos jurisprudentes, sobre o promíscuo conluio entre juízes e advogados: “Há muitos (juízes) para colocar para fora. Esse conluio entre juízes e advogados é o que há de mais pernicioso. Nós sabemos que há decisões graciosas, condescendentes, absolutamente fora das regras.” Pano rápido.
Decisões maculadas pela graciosidade ou condescendência, “absolutamente fora das regras”, que impliquem destituição de um governo municipal, estadual ou federal legitimamente constituído não tem outro nome senão golpe de Estado pela via judicial. E têm ocorrido “aos montes” neste país-continente, sem que, aliás, a sociedade, a imprensa ou mesmo as autoridades se apercebam da enorme gravidade que constituem essas violações aos vereditos que emanam da soberania popular, nos processos eleitorais, gerando instabilidade institucional, incerteza e insegurança jurídicas. A substituição da soberania popular por uma decisão judicial há de ser sempre e sempre para preservar aquela, jamais para olvidá-la.
Diante de uma violação flagrante e ilícita da soberania popular, mediante golpe de Estado pela via judicial, as pessoas e instituições sociais não podem entendê-la como um estado de normalidade, pois é como aceitar aquela história da “banalização do mal” de que fala Hannah Arendt. E no albor de mais um processo de eleições (quase) gerais, no Brasil, neste ano de 2014, é fundamental a conscientização de que as violações da soberania popular transmudadas em verdadeiros golpes de Estado pela via judicial são intoleráveis tanto quanto as condutas vedadas ou delitivas praticadas por candidatos, eleitores ou autoridades, que infirmam os processos eleitorais e agridem o regime democrático e a ordem republicana.

Assim, quem quiser concorrer às próximas eleições deve colocar – se as tiver – as barbas de molho. Dona Dilma Rousseff, afigurada em todas as sondagens de opinião pública com vencedora da próxima eleição presidencial, deve ter muito cuidado com quem e como anda, o quê e onde fala. Por qualquer vacilo pode perder o mandato. Na certa, um golpe branco: os processos, as sessões-espetáculo do TSE ou do STF, as oligarquias das comunicações a apostar suas fichas a narcotizar a opinião pública com muitas e repetidas inverdades. Os perdedores de todos os naipes estarão sempre dispostos a buscar modificação de reveses eleitorais no “tapetão”. E não falta juiz querendo brincar de Deus e, nas asas do ativismo, tentado sempre a buscar aquele "ponto fora da curva": a técnica do golpe de Estado pela via judicial. Por fim, uma coisa é insofismável: aqueles que são tentados a substituir ilegitimamente a soberania popular não vão desistir facilmente. Nem nós desistiremos de denunciá-los.  O alerta está feito.

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Em 10 dias, protestos na Venezuela produziram 10 mortes e 506 detenções

O governo venezuelano continua responsabilizando a oposição pela violência que sacode o país e tratando seus lideres como bandidos. Não há o mínimo respeito pelo contraditório.
Os números citados no título desta nota estão em reportagem do site espanhol ABC, com base no portal venezuelano El Nacional. Há, também, o registro de 137 feridos.

Henrique continua ouvindo lideranças municipais do PMDB

O presidente da Câmara dos Deputados e do diretório do PMDB-RN, Henrique Eduardo Alves, se reuniu neste sábado (22) com vice-prefeitos, ex-prefeitos, vereadores e outras lideranças municipais do partido. 
Os encontros deste sábado deram sequencia a três reuniões onde o deputado já ouviu todos os prefeitos do PMDB sobre nomes para a chapa majoritária e coligações proporcionais deste ano. 
As audiências com lideranças municipais do PMDB têm revelado ao presidente do partido o pensamento das bases do PMDB sobre as eleições 2014. 
O ministro da Previdência Social, Garibaldi Filho, também participou dos encontros, além dos deputados Ezequiel Ferreira e Gustavo Fernandes representando a bancada do PMDB na Assembleia Legislativa.

Entre os vice-prefeitos do PMDB estiveram com Henrique Alves e Garibaldi Filho: Rogério Dantas, de Parelhas, José Edvaldo, de Santana do Matos; Josimar Trindade, de Nísia Floresta; João Batista de Melo Filho, de Cerro Corá; Poti Neto, de São Gonçalo do Amarante; Cleide Carvalho, de Várzea; Cesário Davi, de São Rafael; Rita de Cassia, de São Bento do Trairi; e Elíria Carvalho, de  Lagoa de Velhos.

Já os ex-prefeitos do PMDB que tiveram encontro com o deputado Henrique Alves e o ministro Garibaldi Filho foram: Flávio Azevedo, de Nova Cruz; José Azevedo, de São Paulo do Potengi; Zé Nilton de São Bento do Trairí; Erico, de Umarizal; Antônio Estevan, de Triunfo Potiguar; Marília Dias, de Macaíba; José Robson, de Afonso Bezerra; Clemenceau Alves, de Angicos; Jucier, de Lajes Pintadas; Osivan, de Lagoa Salgada; Pedão, de Lagoa de Velhos; e Keca , de Serra Caiada.

Vários vereadores acompanharam os vice-prefeitos e ex-prefeitos. Ao mesmo tempo em que dialogam internamente com as bases do partido, os dirigentes do PMDB buscam alianças com outras siglas. Henrique Alves e Garibaldi filho já conversaram com representantes de cerca de 15 partidos. Eles esperam definir o nome do candidato do PMDB ao governo do estado no início de abril e, até a formalização das coligações, em junho, anunciar um programa conjunto de governo com a participação dos partidos que manifestarem apoio ao arco de alianças do PMDB.
Texto e foto encaminhados pela Assessoria de imprensa do deputado Henrique Eduardo Alves.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Venezuela manipula e altera comunicado da Unasur

O chanceler da Venezuela, Elias Jaua, leu comunicado da União de Nações Sul-americanas (Unasur), fazendo alterações no texto original publicado no site da instituição.
A propósito, registra o site espanhol ABC:
"Como se pode ler no site da Unsasur, o primeiro parágrafo afirma textualmente: Os Estados membros da Unasur manifestam seu enérgico rechaço aos recentes atos de violência ocorridos na República Bolivariana da Venezuela".
"Contudo, por conta própria, o chanceler acrescentou uma frase, segundo a qual também se repudiava a tentativa de desestabilizar a ordem democrática constituída legitimamente pelo voto popular".
Ainda de acordo com o site ABC, no texto oficial consta que a Unasur reitera sua defesa da ordem democrática, do estado de direito e suas instituições. Em vez disso, Jaua leu: "Os membros da Unasur repudiam as tentativas de rompimento do Estado de Direito da República Bolivariana da Venezuela".
Repudiar - destaca ABC - é um verbo que não se encontra em nenhum dos parágrafos do texto original do comunicado.

Morre a ex-miss baleada na cabeça durante protestos na Venezuela

Génesis Carmona, de 22 anos. ex-Miss turismo, e estudante de marketing, morreu nesta quarta-feira, 19, numa Clínica de Valência, pelas complicações resultantes de uma bala que recebeu ca cabeça durante protestos populares contra o governo venezuelano.
Segundo reportagem no site El Nacional, Carmona, que foi Miss Turismo em 2013, é quarta pessoa que morre na Venezuela desde 12 de fevereiro, quando uma marcha estudantil pacífica foi atacada por grupos armados.

Chove em 104 municípios cearenses

CLIQUE AQUI e leia reportagem em O POVO

João Faustino terá homenagem na Câmara dos Deputados

O ex-deputado federal e ex-senador pelo RN, João Faustino, falecido no dia 8 de janeiro, será homenageado postumamente pela Câmara dos Deputados no próximo dia 26 de março.
Será às 10 horas da manhã, numa sessão especial, agendada nesta quarta-feira pelo presidente da Casa, deputado Henrique Eduardo Alves, após entendimento com um dos filhos do homenageado, advogado Edson Faustino.

Nomeado novo bispo auxiliar de Brasilia

A CNBB anunciou nesta quarta-feira a nomeação do Monsenhor Marcony Vinicius Ferreira como novo bispo auxiliar de Brasília, pelo Papa Francisco. Monsenhor Marcony vai completar 50 anos no dia 3 de março e, ultimamente, exercia o cargo de vigário geral da Arquidiocese de Brasilia.

Ouça o programa de Henrique desta 4ª feira

Para ouvir, CLIQUE AQUI.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Oposicionista entrega-se à Polícia de Maduro diante de testemunhas

O líder do Partido Vontade Popular, da Venezuela, Leopoldo López, entregou-se, nesta terça-feira, a uma patrulha da Guarda Nacional, diante de testemunhas, após falar numa manifestação de protesto que convocara.
Segundo relato do site El Universal, outros acompanhantes do líder oposicionista não puderam passar pelos piquetes policiais.
No discurso que proferiu diante dos manifestantes, falou que lhe sobravam poucas opções:
Uma, sair da Venezuela, para escapar da repressão e da perseguição; ou, cair na clandestinidade, que recusou, evitando deixar a dúvida de que poderia ter algo a esconder.

Ameaçado de prisão, líder oposicionista quer se entregar em praça pública

O vídeo que está postado na nota abaixo desta foi disponibilizado pelo site argentino, Clarin.
Nele, o oposicionista venezuelano que tem tirado o sossego do presidente Nicolás Maduro, que, inclusive, já determinou a sua prisão, convoca manifestações para hoje e nelas anuncia que vai se entregar à Polícia.
Trata-se de Leopoldo Perez, um economista de 42 anos, ex-prefeito do município de Chaco, na Grande Caracas.
Integrante do grupo oposicionista "Meda da Unidade Democrática" - MUD - liderado por Henrique Capriles.
Lopez vem ganhando espaço com o uso das redes sociais e assinalando que a solução da polarização política da Venezuela começa com a substituição do presidente Maduro.
No vídeo disponibilizado pelo Clarin, ele reivindica:
1 - A liberação de todas as pessoas detidas por participarem de manifestações de protesto.
2 - O total esclarecimento das três mortes já ocorridas nas manifestações populares de protesto.
3 - O fim da repressão e da perseguição aos manifestantes.
4 - E o desarmamento dos grupos para-limitares organizados pelo chavismo.
Para acessar o video, CLIQUE AQUI.

O novo rosto da oposição venezuelana

Publicado edital para licitação da “Estrada do Cajueiro”

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, anunciou há pouco, em sua conta no twitter, que está publicado no Diário Oficial da União desta terça-feira, 18, o edital convocando licitação para implantação e pavimentação da Rodovia BR 437 (Estrada do Cajueiro), no Rio Grande do Norte.
De acordo com a publicação, com 32 km de extensão, a estrada compreende o trecho entroncamento da BR-405 com a RN -116, um sub-trecho que se estende desse entroncamento até Jucuri, na divisa do Rio Grande do Norte com o Ceará.
A obra está orçada em R$ 30 milhões, 346 mil, 457 e as propostas devem ser apresentadas na sede do DNIT em Natal, até 25 de março deste ano.

O edital completo está à disposição dos interessados no site www.dnit.gov.br
Ainda em sua conta no twitter, Henrique faz questão de externar seu agradecimento á presidenta Dilma, por mais este compromisso com o Rio Grande do Norte que começa a ser resgatado.
E acrescenta que estão marcadas para os dias 27 e 28 deste mês as aberturas das propostas de duas licitações: uma, para a implantação do complexo viário do Gancho, em Igapó, na confluência de Natal com São Gonçalo; e a outra para ampliação do trecho da BR-101, entre Parnamirim e Natal, no acesso para Nova Parnamirim na altura das Avenidas Abel Cabral e Maria Lacerda Montenegro, até o acesso para a Cidade do Vaqueiro.

Eduardo Campos escala Eliana Calmon para atrair Barbosa

É o que diz reportagem no Jornal do Commercio, do Recife.
O sonho do pré-candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Campos, é que o atual presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa, deixe a Magistratura e possa filiar-se ao seu partido até o prazo limite de 5 de abril.
Com isso, poderia sair candidato ao Senado pelo Rio de Janeiro.
Esse desejo de Eduardo, choca-se com aspiração do deputado Romário, que, em entrevista publicada nesta terça-feira, no site de O Globo, anunciou que será candidato ao senado exatamente pelo PSB do Rio.
O problema é que, cada partido só pode apresentar um candidato ao cargo.
CLIQUE AQUI e leia um resumo da entrevista do deputado Romário.

Projeto que legaliza a maconha será relatado por Cristovam Buarque

O projeto que legaliza o plantio doméstico da maconha no Brasil, apresentado por iniciativa popular através do portal e-cidadania do Senado, será relatado pelo senador do DF, Cristovam Buarque.
O projeto recebeu mais de 20 mil assinaturas eletrônicas de apoio e o anúncio da relatoria foi feito pelo próprio senador Cristovam.
Citado em nota da Agência Senado, ele assinala:

- Vou tomar a minha posição no momento certo. Depois de um longo debate com cientistas, com usuários, na medida que seja possível isso, com líderes religiosos, filósofos, antropólogos, políticos. Vamos ver o que aconteceu nos países que tomaram essa decisão, como na Europa, algumas cidades americanas, e recentemente o Uruguai. Vamos analisar para que no fim esse assunto, que é relevante, ele seja também enfrentado.

Artigo de Heitor Scalambrini Costa, prof. da UFPE

O vilão é o modelo mercantil 
do setor elétrico

Heitor Scalambrini Costa
Professor da Universidade Federal de Pernambuco 

Tentar entender o que se passa com o setor elétrico brasileiro, significa conhecer melhor um passado recente em que decisões errôneas foram tomadas, resultando atualmente em tarifas caras, fornecimento e abastecimento precários, e risco crescente de racionamento de energia. Além de um setor sem credibilidade, sem democracia, sem competência.
Em fevereiro de 1995, teve inicio o que ficou conhecido como a Reestruturação do Setor Elétrico, com a aprovação pelo Congresso Nacional da Lei nº 8987, que trata do regime de concessão e permissão da prestação de serviços públicos.
Iniciou assim um modelo “de mercado”. Ou seja: a reestruturação foi baseada no preceito de que a ação empresarial “concorrencional”, motivada pela perspectiva do lucro econômico, aportaria ao setor elétrico, eficiência e qualidade dos serviços prestados e tarifas módicas. A idéia que está por trás desta suposta lógica é que o lucro seria um sinal suficiente para garantir os investimentos. Essa assertiva não é inteiramente verdadeira, pois as empresas do setor andam ganhando “rios de dinheiro” sim (basta acompanhar os balancetes anuais), mas seus investimentos ficam somente nos discursos, já que o BNDES (leia-se: o tesouro nacional, o dinheiros dos impostos) tem sido o “Papai Noel” fora de época para as empresas do setor elétrico.
Com o racionamento de energia elétrica ocorrido em 2001/2002, com a deterioração da qualidade do abastecimento causado por dezenas (e centenas) de apagões e apaguinhos (interrupções no fornecimento de energia elétrica) ao longo daquele período e com a explosão tarifária, chega-se à conclusão, sem precisar ser um grande especialista, que o modelo não funcionou.
Desde aquele episodio do (longo) racionamento de energia elétrica, sem dúvida uma consequência direta das transformações impostas ao setor elétrico, a sociedade brasileira teve a oportunidade de um grande debate sobe o tema, para rever a política do Governo Federal para o setor. Técnico e especialistas que se opunham ao modelo mercantil se uniram em torno do partido político à época, o atual gestor do Estado brasileiro, e chegaram à conclusão de que o modelo implantado deveria ser totalmente reformulado, inclusive defenestrando os gestores daquele modelo, com comportamentos (a)éticos que comprometia as mudanças pretendidas. Este programa de energia foi lançado no Clube de Engenharia do Rio de Janeiro em 30 de abril de 2002.
As mudanças substantivas propostas naquele programa, pugnavam inclusive pela transformação das empresas estatais de serviços públicos, em empresas públicas e cidadãs (empresas que não seriam nem estatais, nem privadas, mas sim sujeitas a instrumentos e mecanismos autônomos de controle da sociedade) não ocorreram. Chegando ao poder, como é de práxis no Brasil, a historia foi diferente. Acabou prevalecendo para o setor a continuidade do modelo mercantil. Eufemisticamente, este novo-velho modelo remendado foi chamado na época de “modelo híbrido”. Inclusive acabou prevalecendo a permanência daqueles que defendiam a continuidade do modelo mercantil, com a justificativa de atender às necessidades fisiológicas das alianças partidárias, ou seja: a tal da “governabilidade”.
Portanto, “tudo como dantes no quartel de Abrantes”. Com a manutenção do modelo mercantil, houve a criação de inúmeros encargos, uns com caráter compensatórios, outros como subsídios, e a maioria decorrentes de custos para “alimentar” o próprio modelo. Além da privatização das empresas do setor (100% das distribuidoras, 50% das transmissoras e 20% das geradoras).
O que se constatou ao longo desses anos todos é que, com tais encargos, houve uma significativa evolução para cima das tarifas de energia elétrica. Ou seja: os “encargos de mercado” do modelo mercantil contribuíram significativamente para a explosão tarifária.
Outra questão pertinente, e mal resolvida pelos gestores do setor elétrico nos últimos 12 anos, foi à falta de incentivos à diversificação da matriz energética, que baseia 80% da geração elétrica via hidroelétricas, e 20% via termoelétricas. Ambas formas de geração centralizada através de grandes, mega centrais, sendo necessário “exportar” esta energia, através das linhas de transmissão, até os centros consumidores.
A culpa pela situação a que chegou o setor elétrico brasileiro hoje, não é de São Pedro, é sim dos homens, da ganância, da dominação do homem sobre ele mesmo. Temos condições de promover as mudanças necessárias no modelo elétrico, que beneficie a maioria da população, de promover as novas fontes de energia (sol e vento), de incentivar o uso racional de energia, diminuindo assim o desperdício, de fortalecer a inovação com o uso de iluminação e de motores mais eficientes, de regionalizar o planejamento energético, democratizando as tomadas de decisões? São escolhas, como foram as que nos levaram para os riscos atuais cada vez maiores de racionamento de energia.

Ouça o programa de Henrique desta terça-feira

Para ouvir, CLIQUE AQUI.

Romário diz que vai ser candidato ao Senado

O deputado Romário (PSB-RJ) afirmou que será candidato ao Senado destacando que ainda não sabe se o PSB terá candidato próprio ao Governo ou apoiará um dos três pre-candidatos que lutam por seu apoio - Garotinho (PR), Lindberg (PT) ou Miro Teixeira (PROS).
Foi numa entrevista a O Globo, onde também admite que existe "uma quedinha" do PSB pela candidatura Miro Teixeira.

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Artigo de Paulo Afonso Linhares

DE OPOSIÇÃO DESQUALIFICADA
Paulo Afonso Linhares
O instigante teólogo Leonardo Boff, em reflexão recente publicada Jornal do Brasil On Line, assevera que o “Zürcher Zeitung", o maior jornal suíço e pouco depois o Times diziam que o autor mais lido hoje é Marx. Não só por estudiosos, mas por banqueiros e financistas conscientes que querem saber por que seu sistema foi a falência e por que tem tantas dificuldades em sair dele, se é que encontram uma saída que não signifique mais sacrifício para a natureza (injustiça ecológica) e para a humanidade já sofredora (injustiça social).” E complementa o teólogo de reconhecidas luzes: “Sou cristão, teólogo e escritor. Marx nunca foi pai nem padrinho da Teologia da Libertação que ajudei a formular. O atual anticomunismo  revela a anemia de espírito e a pobreza de pensamento  que  estão prevalecendo como disfarce para esconder o desastre que significa a economia de mercado, altamente predadora da natureza e agressora de todo tipo de direitos humanos e agora numa crise da qual não sabem como sair.”
É com esta assertiva do teólogo Leonardo Boff, posto que ligeira, mas, de inegável profundidade, que me encorajo a discutir alguns aspectos da conjuntura política nacional, mormente, em face das críticas lançada contra o governo Dilma Rousseff e ao partido desta, o PT. Com efeito, em boa hora Boff livra o filósofo de Tréveris (Renânia-Palatinado, Alemanha), de muitas responsabilidades sem sentido algum. Na verdade, as pessoas, à direita, ao centro ou à esquerda, sempre querem botar palavras no boca de Marx – para o bem ou para o mal -  que ele jamais pensou, ou ousou, em dizer.
Está na moda, hoje em dia, ser contra o PT, Lula, Dilma e quejandos. Tudo, como se as mazelas destes Brasis em mais de quinhentos anos de colonização europeia tivessem aí a sua única origem. Bobagem. O nosso grave problema é que quem melhor reflete sobre a iníqua estrutura social brasileira continua a ver a senzala a partir da casa-grande, seja de direita, centro ou de esquerda, para usar essa rotulação anacrônica e não menos ridícula. Todavia, fato é que a elite brasileira tem sido sempre cruel, despreparada e mesquinha, nas diversas fases da construção de uma identidade nacional. Tanto que o sociólogo Oliveira Vianna, posto que de pendores ultradireitistas, afirmava, lá pelos anos ’30 do século XX, com muita razão, que deveriam congelar o Brasil, antes que apodrecesse.
Com todas as críticas negativas ou bisonhas que possa merecer, não há negar que o ex-governador paulista José Serra tem uma poderosa capacidade de analisar fatos da conjuntura política nacional. Com muita razão, recentemente Serra irritou-se com seus companheiros de partido (leia-se: Aécio Neves) pela oposição desqualificada que têm feito ao governo Dilma. Ora, criticar a presidenta da República por um pernoite em Lisboa, quando a comitiva presidencial brasileira sem deslocava da Suíça para Cuba, parece uma questão de somenos. Uns idiotas até explicitam o valor da diária de hotel param a acomodação presidencial: 26 mil reais. Ora, deveria a nossa queridíssima presidenta Dilma ficar num hotel pulgueiro da Alfama ou noutro sítio da velha Lisboa?  Coisa nenhuma! A chefe de Estado brasileira deveria ter acomodações compatíveis com sua representatividade.
Com o perdão do meu amigo (e quase compadre) Rinaldo Barros, com uma oposição medíocre que despreza questões fundamentais da conjuntura, como insiste José Serra – em especial, as dificuldades da economia – esse povo do PT tende a se perpetuar no poder. Salvo se a poderosíssima casta judiciária, com a férrea mão barbosiana (nada do Ruy, mas, do Joaquim...),  quiser desigualar os desiguais, para aprofundar as enormes desigualdades que grassam neste país-continente, ademais de dar um novo e desconhecido rumo a este país, o que parece ser uma péssima e arriscada possibilidade. Enfim, não se pode querer que a História seja uma apanágio de medíocres e diletantes da política. O nosso Brasil merece mais.

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Novo acidente em mina na Colômbia: 10 mortos e 25 feridos

Pelo menos 10 pessoas morreram e 25  ficaram feridas no desabamento ocorrido numa mina de ouro no município de Santa Barbara de Iscuande, região de Narinho, na Colômbia. Teme-se que haja desaparecidos - informa o site espanhol abc.es.
Abc cita fontes da Força Aérea Colombiana, que transporta para a região equipes de socorro, e informa que o número de vítimas pode ser maior.  

Ouça o programa de Henrique desta sexta-feira

Para ouvir, CLIQUE AQUI.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Escritura: "A paciência vence grandes batalhas"

Sob o título acima recebi a mensagem abaixo que compartilho com vocês:


  “Disse o Senhor a Moisés: "Suba a mim, ao monte, e fique aqui; e lhe darei as tábuas de pedra com a lei e os mandamentos que escrevi para a instrução do povo"Êxodo 24:12

Amados,

          Que a paciência e Paz transbordem em seus corações!

     O Senhor instruiu  Moisés para subir ao monte onde Ele iria dar as Palavras da lei ao povo.
    Na Palavra de Deus há inúmeras promessas para nossas vidas, ficamos esperançosos e entusiasmados com isso; nosso coração se enche de ansiedade para O buscarmos, a fim de que tudo, em Deus, se cumpra.
      Diga-me: você é assim não é?
  
   “O povo, ao ver que Moisés demorava a descer do monte, juntou-se ao redor de Arão e lhe disse: "Venha, faça para nós deuses que nos conduzam, pois a esse Moisés, o homem que nos tirou do Egito, não sabemos o que lhe aconteceu"  Êxodo 32:1

     Amados, jamais esqueça, o tempo de Deus é perfeito, pode até tardar o que você tem buscado em Deus, mas não falhará,  seja qual for a área de sua vida.
    A vontade de Deus é boa, agradável e perfeita; podemos confiar e descansar em Sua Palavra.
    Pergunto: Como você está reagindo ao tempo de espera em sua vida?
     Aprendemos com o povo de Israel o que não fazer. Não tente buscar outros meios para conseguir realizar seus desejos. Por não ter a paciência e não saber aguardar em Deus, o povo começar a murmurar, querer resolver seus desafios pela sua própria força.

   “Então o Senhor disse a Moisés: "Desça, porque o seu povo, que você tirou do Egito, corrompeu-se. Muito depressa se desviaram daquilo que lhes ordenei e fizeram um ídolo em forma de bezerro, curvaram-se diante dele, ofereceram-lhe sacrifícios, e disseram: ‘Eis aí, ó Israel, os seus deuses que tiraram vocês do Egito’  ".Êxodo 32:7-8

     Os olhos do Senhor estão sobre todas as coisas. Ele está vendo qual será sua atitude em relação a demora ao dar-lhe o que o seu coração deseja. Se você for fiel ao Senhor e tiver a paciência necessária para aguardar no Senhor, em nome de Jesus, no tempo determinado pelo Senhor sua resposta virá.                 
    Lembre-se o Senhor é o caminho que nos leva à salvação de todas as situações difíceis em nossas vidas. DEle vem a paz quando O buscamos, DEle vem o conforto nos momentos de angústia e dúvidas.
    Não se desvie do propósito de Deus para sua vida, pois toda promessa passa pela prova do tempo.

“Disse o Senhor a Moisés: "Tenho visto que este povo é um povo obstinado”.Êxodo 32:9

      Não endureça seu coração achando que Deus não se importa contigo, não deixe que nenhuma raiz de amargura entre em seu coração, mas lute contra as vozes que dizem que Deus se esqueceu de ti. Não se venda a outros deuses, nem se prostre diante da espera; confie no Senhor e creia, tudo Ele fará por ti.

    “Na manhã seguinte, ofereceram holocaustos e sacrifícios de comunhão. O povo se assentou para comer e beber, e levantou-se para se entregar à farra”.Êxodo 32:6

      Lembre-se, quando desistimos de crer em Deus, as práticas do passado voltam em nossas vidas e nos tornamos piores do que já éramos no tempo da escravidão do pecado. O Senhor vem nos alertar sobre estas situações, e cabe a cada um de nós confiar ou buscar alternativas para vencer áreas em nossas vidas que precisam de cura, restauração e principalmente da Presença de Deus.
    Qual a sua decisão?

 Abençoe outras vidas, por favor. Repasse esta Palavra para o maior número possível de pessoas. 
     
        Com carinho e amor,

                       André e Sara
   

Henrique endossa proposta para zerar impostos sobre medicamentos

O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, afirmou nesta quarta-feira (12) que vai propor ao presidente do Senado, Renan Calheiros, a constituição de uma comissão mista para acelerar a análise nas Duas Casas de propostas sobre desoneração de medicamentos.
O anúncio foi feito durante ato na Câmara dos Deputados para a entrega de abaixo-assinado em favor da aprovação de medidas para reduzir impostos sobre produtos farmacêuticos. Uma das propostas é a PEC 301/13, do deputado Francisco Chagas (PT-SP), que extingue os impostos sobre esses produtos e os insumos utilizados em sua produção e comercialização. 
O documento, com 2.620.248 assinaturas, foi entregue à Frente Parlamentar de Desoneração dos Medicamentos.
CLIQUE AQUI e leia reportagem completa no site da Câmara,

Sete projetos proibem uso de máscaras em manifestações. Certo ou errado?

Justiça dá razão ao ECAD e tira do ar a Rádio Caicó no RN

A Rádio Caicó, na cidade potiguar do mesmo nome, está fora do ar desde a última sexta-feira, dia 7, por conta de uma pendência com o Ecad - Escritório de Arrecadação de Direitos Autorais.
Sob o título "Radialista desabafa e pede reabertura da Rádio Caicó, fechada por decisão da Justiça", o site V&C Artigos e Notícias publica a seguinte declaração do comunicador Marcos Dantas:

"Me desculpem, mas hoje acordei com vontade de romper o silêncio, e isso se trata de um desabafo pessoal, sem inclusive combinar com meus colegas de trabalho, e muito menos com a direção da empresa onde trabalho: Há seis dias estamos, por uma decisão judicial sem poder fazer o que mais gostamos, de trabalhar nas ondas do rádio. Como todos já sabem, a Rádio Caicó foi tirada do ar na última sexta-feira (07), por causa de uma pendência que se arrasta há anos, junto ao ECAD, um órgão que segundo dizem, tem a missão de arrecadar pelas músicas executadas nas rádios, lojas comerciais, bares, shows ao vivo e distribuir os direitos autorais de execução pública, apesar de não conhecer quase ninguém na nossa região, beneficiada por esse tal ECAD.

Mas, como decisão judicial não se discute, se cumpre, esta foi cumprida, e não discuto nem o mérito do juiz, ao ter acatado uma demanda do ECAD, mas o problema é que além do objetivo principal que seria sensibilizar quem deve, a pagar a conta alta, vem desencadeando outras dezenas de situações desconfortáveis, principalmente aos que não tem nada a ver com o problema: nós funcionários.

Me desculpem, mas na minha humilde opinião, de quem talvez seja um leigo no assunto, mas aqui falo com o coração, o ECAD pedir a retirada da emissora do ar deveria ter sido a última alternativa. Existiam diversas outras formas de resolver esta situação, mas não desligando os nossos microfones, afinal, sem rádio não temos conteúdo, não temos faturamento, funcionários não recebem salários, não existem recursos para pagar contas. Ou seja, o ECAD está preocupado em receber a dívida deles, quanto ao resto…. deve ser apenas o resto mesmo.

Marcos Dantas
Funcionário da Rádio Caicó e apresentador do Panorama Seridó"

Correio planeja polo de distribuição no Aeroporto Aluízio Alves

O prefeito de São Gonçalo do Amarante, Jaime Calado, realizou mais uma visita às obras do Aeroporto Internacional Governador Aluísio Alves. Dessa vez, Jaime  foi acompanhado do diretor Regional dos Correios, José Alberto Brito, o assessor parlamentar da deputada federal Fátima Bezerra, Adriano Saraiva e representantes da Inframerica.

Jaime vem intermediando junto com a deputada Fátima Bezerra um entendimento entre a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e o consórcio Inframerica a instalação de um Centro de Distribuição Logística no aeroporto. 
A direção nacional dos Correios já demonstrou interesse em criar esse polo de distribuição no município pela localização estratégica do terminal, e agora estão na fase de negociação.  

Texto (de Marilia Costa) e fotos (de Gilmar Cardoso) encaminhados pela Secretaria Municipal de Comunicação.


Clubes de futebol devem ao Governo mais de R$ 2 bilhões e 300

Henrique cobra presença de deputados na nova votação sobre Donadon

Deputados aprovam emenda que proíbe penhora on-line

Estudantes da Venezuela desafiam a repressão

Estou lendo aqui (em tradução não profissional) no site do El Universal:

- Quanto mais repressão, mais estudantes estarão nas ruas - expressou a líder estudantil Tamy Suárez.

Outra dirigente, Gaby Arellano, assinalou: "Toda essa repressão do Governo, em vez de encurralarnos numa esquina, nos dá mais forças para sair e reivindicar.

As ativistas fizeram essas advertências na véspera do protesto estudantil marcado para esta quarta-feira, em Caracas.
Segundo o movimento estudantil, 11 dos seus dirigentes estão detidos em Táchira e Nueva Esparta.

Mensagem de celular divulgada em Mossoró diz que "a Rosa não está morta"

O diretor de redação e colunista da Gazeta do Oeste, Gilberto de Sousa, publica na sua coluna de hoje, sob o título "A mensagem da rosa", a seguinte nota:

- Estão pensando que estamos mortos politicamente, mas vamos novamente mostrar que quem manda em Mossoró é a Rosa. Foi mais ou menos esta a mensagem enviada pela governadora Rosalba Ciarlini para o celular do vereador Flavinho Tácito (DEM). Ele mostrou a mensagem numa roda de amigos, inclusive destacando o horário: por volta das duas horas da manhã. Quer dizer, morta politicamente saberemos após as eleições, mas passando à noite acordada, isso sim.

Um pouco abaixo, com o título "Agradando", Gilberto acrescenta:

Pelo que se comenta nos bastidores do poder central, a governadora Rosalba Ciarlini estaria muito incomodada pelo fato de o prefeito interino Francisco José da Silveira Júnior estar agradando a população. "Ele está agradando e isso é ruim", frase ouvida nas rodas rosalbistas.

Europa estuda o impacto de parques eólicos sobre a temperatura e as chuvas

Entidades científicas da Europa estão avaliando a dimensão do impacto dos parques eólicos sobre a temperatura e as chuvas nos locais onde se encontram.
Um estudo divulgado pela revista Nature Communications indica que, na Europa, o desenvolvimento de parques eólicos modifica o clima do continente "de maneira extremamente débil".
Segundo a revista, esses estudos foram feitos por centos de pesquisa franceses e italianos.
De acordo com  reportagem no site ABC (em espanhol), o Centro Nacional de Investigação Científica da França emitiu comunicado afirmando que, até agora, não foram quantificados, com precisão, os efeitos que os parques podem provocar na temperatura e nas chuvas das zonas em que se encontram.

Padre carioca é nomeado bispo de Caicó-RN

O padre carioca Antônio Carlos Cruz Santos, atual provincial da ordem Missionários do Sagrado Coração de Jesus (MSC), em Juiz de Fora-MG, foi nomeado bispo da Diocese de Caicó-RN.
A nomeação foi assinada pelo Papa Francisco.
Segundo o site da CNBB, o bispo nomeado é natural do Rio de Janeiro-RJ, e está com 52 anos.
Foi ordenado padre em 12 de dezembro de 1992.


Ouça o programa de Henrique desta quarta-feira

Para ouvir, CLIQUE AQUI.

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Imperador Adriano assina com o Atlético PR

A imprensa paranaense está anunciando a assinatura de um contrato "de produtividade" entre Adriano, o "imperador", e o Atlético PR. Adriano ganhará por gols e assistências,além de participação nos contratos de patrocinadores que levar ao clube.
A última atuação de Adriano, com bola, foi no Corinthians, num jogo contra o Santos no dia 4 de março de 2012.

Pernambuco autoriza aumento da água acima da inflação

A notícia está como manchete de capa na dição desta terça-feira do Jornal do Commercio, do Recife.
A Compesa pedi 15,44% do aumento, mas teve de se contentar com 8,75%.
Os novos preços começam a valer no dia 20 de março.
Para acessar o site do Jornal do Commercio, CLIQUE AQUI.